Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MUDANÇAS NAS INTERNAÇOES HOSPITALARES POR INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO EM CARATER DE URGENCIA NAS REGIOES NORTE-NORDESTE DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

Fundamentação/Introdução

O infarto agudo do miocárdio (IAM) é uma das principais causas de morbimortalidade no Brasil, por isso, quando diagnosticado requer cuidados hospitalares imediatos. No entanto, suspeita-se que as taxas de admissão pelas condições médicas agudas estejam menores durante a pandemia da COVID-19, sugerindo que os pacientes possam estar adiando a busca ao serviço de saúde.

Objetivos

Comparar as internações por IAM em caráter de urgência nas regiões Norte e Nordeste durante a pandemia da COVID-19 em 2020 com um ano de referência.

Delineamento e Métodos

Estudo descritivo, quantitativo e transversal a partir de dados do DATASUS. Observou-se as informações acerca das internações por IAM em caráter de urgência durante o período pandêmico (março e abril de 2020) com os mesmos meses em 2019. Como referência, comparamos o período pré-pandêmico (janeiro e fevereiro) nos respectivos anos. Analisou-se as variáveis sexo, cor/raça e faixa etária, do perfil dos pacientes.

Resultados

Durante o período pré-pandemia de 2020 houve aumento de 14,2% nas admissões, das regiões Norte e Nordeste, em comparação com 2019 (4820 vs 4221). Por outro lado, no período de pandemia de 2020, houve uma diminuição de 8,7% em comparação com 2019 (4156 vs 4555). Não se verificou alterações do perfil epidemiológico dos pacientes no período analisado, mantendo-se a prevalência no sexo masculino, na raça parda e na faixa etária entre 60-69 anos. Este tipo de estudo limita nossa capacidade de retirar conclusões causais. Uma explicação para os achados seria o temor dos pacientes de comparecer às instalações médicas, durante a pandemia. Suspeita-se que as alterações nas práticas do departamento de urgência podem resultar em menos admissões ou em internações com diferentes códigos de diagnóstico primário relacionados à COVID-19.

Conclusões/Considerações finais

Tais resultados levantam a hipótese de que os pacientes não estejam se apresentando para os cuidados necessários, visto que uma mudança na incidência é pouco provável para essas condições por motivos clínicos. Assim, é imperativo que os hospitais e as clínicas promovam um ambiente seguro, de modo que os pacientes possam comparecer de forma precoce, evitando desfechos desfavoráveis.

Palavras-chave

Infarto agudo do miocárdio. COVID-19. Internação hospitalar.

Área

Cardiologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

BRUNNA PATRICIO SANTOS, RAQUEL HELLEN DE SOUZA MUNIZ, Luanna Karen Chagas Fernandes, Kaio José Santos De Andrade, Marcela Lukerli Araújo Paulina da Silva, Ana Beatriz Torres Figueiredo Lacerda