Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MENINGOENCEFALITE POR LISTERIA MONOCYTOGENES EM ADULTO JOVEM IMUNOCOMPETENTE: RELATO DE CASO EM HOSPITAL UNIVERSITARIO

Fundamentação/Introdução

Introdução: A Listeria monocytogenes é uma bacilo gram positivo intracelular cuja transmissão ocorre predominantemente através de alimentos contaminados, especialmente os laticínios. Indivíduos com redução da competência imunológica das células T, como idosos, gestantes e usuários de terapia imunossupressiva, apresentam maior risco de disseminação hematogênica do bacilo a partir do fígado.

Objetivos

Objetivo: Relatar o caso de meningoencefalite de tronco (rombencefalite) por L. monocytogenes em adulto jovem sem fatores de risco.

Delineamento e Métodos

Caso: Masculino, 20 anos, procedente de Cabedelo (PB), previamente hígido, procurou serviço médico em sua cidade devido a cefaleia holocraniana e febre há 5 dias, sendo prescrito azitromicina para suspeita de síndrome gripal e liberado para casa. Fez uso por 3 dias da medicação, quando evoluiu com fotofobia e sufusão conjuntival à direita. Cinco dias depois, foi admitido no hospital de sua cidade com quadro de desorientação, confusão mental, cefaleia progressiva e persistência da febre, iniciado Ceftriaxona e encaminhado para o serviço de Infectologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW). À admissão do HULW, apresentava-se em estado geral grave, obnubilado, com sufusão conjuntival à direita e lesões ulceradas em lábios, além de dislalia, disartria, redução de força em membros inferiores e sinais de irritação meníngea (Brudzinski e Kerning positivos).

Resultados

Evoluiu com rebaixamento do nível de consciência, necessitando de intubação orotraqueal, leito de UTI e antibioticoterapia de amplo espectro. Ainda na admissão, apresentou sorologias negativas para HIV, HCV, HBV e CMV. Paciente realizou análise de líquor que demonstrou pleocitose com predomínio neutrofílico, consumo de glicose e cloretos, além de hiperproteinorraquia. A RNM de Crânio evidenciou múltiplas lesões encefálicas (núcleos capsulares, tálamo, tronco cerebral e pedúnculos) sugestivas de processo infeccioso/inflamatório. No 16o dia de doença, identificou-se crescimento de bacilos gram positivos em duas amostras de hemocultura, identificados como Listeria monocytogenes, sensível a ampicilina.

Conclusões/Considerações finais

Conclusão: Apesar de rara, a ocorrência de meningoencefalite por L. monocytogenes em pacientes sem fatores de risco é potencialmente fatal. O caso relatado ilustra a forma de apresentação dessa infecção com instalação abrupta e rápida evolução para desfecho desfavorável, exigindo do médico alto grau de suspeição etiológica para correta cobertura anti-microbiana.

Palavras-chave

Meningite por Listeria; Meningite; Listeria;

Área

Infectologia

Instituições

Hospital Universitário Lauro Wanderley - Paraíba - Brasil, Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

PEDRO HENRIQUE LEITE DE ARAÚJO, EVELYN CHRISTINE ANDRADE SOUSA, WANJA RANNY DE ARAÚJO LIMA MORAIS, THALITA BACK DE LIMA E MOURA, HERCULANO CHAVES SANTOS, ANA ISABEL VIEIRA FERNANDES