Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MODULAÇAO DA INTERLEUCINA-6 COMO ESTRATEGIA DE TRATAMENTO CONTRA A FORMA GRAVE DA COVID-19

Fundamentação/Introdução

A interleucina-6 (IL-6) é uma importante substância da tempestade de citocinas na COVID-19. O aumento dos seus níveis está ligado à hiperinflamação a partir da estimulação de células imunes e ativação do complemento. Desse modo, a modulação da IL-6, com os imunobiológicos “tocilizumab" e "sarilumab", é apontada como um possível tratamento para diminuir os efeitos desta inflamação em pacientes graves.

Objetivos

Descrever a modulação da IL-6 como tratamento da forma grave da COVID-19.

Delineamento e Métodos

Foi realizada uma busca sistemática na base de dados PubMed, usando os seguintes termos sozinhos ou combinados: "COVID-19", “immunotherapy”, “anti-IL-6", "tocilizumab", "sarilumab". Foram selecionados 8 artigos, publicados entre 2020/2021, que estavam relacionados ao objetivo do estudo.

Resultados

Os estudos evidenciaram que níveis elevados de IL-6 são comuns em pacientes acometidos pela COVID-19, atingindo 76% dos casos graves. Nesses pacientes, os anti-IL-6 citados promoveram uma melhora imediata nos quadros de hipoxemia e opacidade da tomografia computadorizada, os níveis séricos de PCR, ferritina e fibrinogênio diminuíram em direção à normalidade. Com o uso de sarilumabe, com 3 administrações a cada 4 dias a partir da internação, 70,6% dos pacientes apresentaram melhora no quadro clínico e receberam alta com uma média de 12 dias depois do início do tratamento; é importante ressaltar que em pacientes com consolidação pulmonar inferior a 17%, o tempo médio de melhora clínica foi menor após a administração de sarilumabe em comparação com o tratamento padrão (10 dias versus 24 dias; P = 0,01). No uso da tocilizumabe (TCZ), 100 pacientes tiveram acesso ao tratamento, após uma média de 12 dias dos primeiros sintomas. Destes pacientes, em até 72 horas após a administração do medicamento, 58 mostraram uma melhora rápida da condição clínica e respiratória, 37 estabilizaram em comparação com a condição pré-TCZ em declínio rápido e 5 pioraram (4 chegando a óbito).

Conclusões/Considerações finais

Apesar da modulação da IL-6 parecer ser benéfica, o uso de outros tratamentos associados presentes nos estudos levanta dúvidas sobre sua eficácia isolada. Além disso, deve-se pensar no momento ideal para abordar tais intervenções imunomoduladoras com intenção de maximizar o seu efeito e reduzir riscos. Por isso, novos dados de ensaios clínicos randomizados são necessários para a avaliação estatística apropriada dos resultados desta terapia.

Palavras-chave

COVID-19; interleucina-6; imunoterapia.

Área

Infectologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

JULIA ALBUQUERQUE DE LUNA, Ana Beatriz Torres Figueiredo de Lacerda, Fabiana Maia Gonçalves, Glaucielle Ramalho Uchoa, Ian Félix Martins Costa, Joelma Rodrigues de Souza