Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

NEUROPATOLOGIA ASSOCIADA AO SARS-COV-2 E SUA RELAÇAO COM O SISTEMA IMUNE E MECANISMOS MOLECULARES

Fundamentação/Introdução

A pandemia da COVID-19 emergiu em 2020, sendo causada pelo SARS- CoV-2. O vírus infecta as células humanas através do receptor ECA2, o qual é amplamente expresso no epitélio pulmonar, intestinos, rins e vasos do sistema nervoso. Além dos sintomas gripais, o surgimento de sintomas incomuns como dores de cabeça persistentes, perda de olfato e de paladar revelam um possível comprometimento neurológico causado pelo SARS-CoV-2.

Objetivos

Descrever a neuropatologia acarretada pelo SARS-CoV-2 e sua relação com o sistema imune e os mecanismos moleculares no sistema nervoso.

Delineamento e Métodos

Revisão bibliográfica com prospecção da informação para fins técnico-científicos na base eletrônica Pubmed, com os descritores “SARS-CoV-2”; “COVID-19”; “neuropatologia” e “sistema imune” sendo selecionados os artigos de revisão relevantes para o tema.

Resultados

Baseados em pacientes com perda de olfato, propõe-se que o SARS-CoV-2 possa penetrar o sistema nervoso central (SNC) infectando o bulbo e o epitélio olfatório. Em acréscimo, a forte reação imune do organismo contra o SARS-CoV-2 cria o que é conhecido como “tempestade de citocinas”. Essa reação imune exacerbada pode comprometer a permeabilidade da barreira hematoencefálica, levando à ativação de processos neuro inflamatórios. Dependendo da gravidade do caso, esses processos neuro inflamatórios poderiam levar à hemorragia e formação de edemas. Devido a proliferação do vírus no SNC, o quadro clínico do paciente pode evoluir para um AVE devido a fatores como altos níveis de interleucinas, especialmente IL-6, que é também associada à necessidade de ventilação mecânica. Essas interleucinas presentes no SNC podem levar à ativação e proliferação da microglia, que pode prejudicar ainda mais a integridade da barreira hemato-encefálica. Esses processos pró inflamatórios desencadeados pela imunidade inata no cérebro e no sistema nervoso periférico podem levar à uma condição de retroalimentação positiva, prejudicando a neurotransmissão e causando citotoxicidade. Essa intensa resposta imune pode esgotar os linfócitos T, que entram em apoptose, levando à linfocitopenia, agravando o quadro da COVID-19.

Conclusões/Considerações finais

Diante disso, o SARs-CoV-2 se mostra como um desafio, sendo necessário mais estudos experimentais para entender sua dinâmica com o SNC e o sistema imune.

Palavras-chave

Citocinas; COVID-19; Neuropatologia; SARS-CoV-2; Sistema Imune.

Área

Neurologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

GLAUCIELLE RAMALHO UCHOA, Pedro Henrique Lopes Ferreira, Brenda Fernandes, Andrei Félix Mendes, Vanessa de Melo Cavalcanti Dantas, Joelma Rodrigues Souza