Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Mortalidade por Trauma nas Regiões do Brasil

Fundamentação/Introdução

As causas externas, dentre elas o trauma, estão entre as principais causas de morte no mundo e, no Brasil, configuram-se como a terceira principal (12,5% do total) (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2008). Assim, as informações epidemiológicas da mortalidade por trauma no país são de extrema relevância para a organização do sistema de saúde e, por conseguinte, elaboração de intervenções e políticas públicas para a sua redução, segundo as necessidades locais (FREIRE, 2012).

Objetivos

Descrever as principais causas de mortalidade por trauma por região do Brasil e as características epidemiológicas dos óbitos por trauma em cada região no período de 2010 a 2019.

Delineamento e Métodos

Estudo retrospectivo, descritivo e de abordagem quantitativa realizado com dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) e do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). A coleta dos dados ocorreu em maio de 2021, selecionando os óbitos registrados entre 2010 e 2019 em indivíduos acima de 20 anos. As causas de óbito foram reunidas segundo a Classificação Internacional de Doenças, 10ª Revisão (CID-10) e analisadas por região, considerando o sexo, faixa etária, raça/cor e causas do CID-10. A avaliação dos dados foi realizada através das frequências e do coeficiente de mortalidade por causa de trauma.

Resultados

No período de 2010 a 2019, agressão foi a causa de morte por trauma mais comum para todas as regiões, exceto na região Sul, onde a principal foi acidentes de transporte. Morreram mais pessoas da faixa etária de 20 a 29 anos (29,70%), a maioria do sexo masculino (82,26%) e de cor/raça parda (50,56%). Houve aumento de 2,37% de mortalidade para todas as causas, sendo a região Norte a com maior acréscimo (14,42%). A mortalidade por lesões autoprovocadas intencionalmente e quedas expandiu-se em todas as regiões, principalmente na região Norte (64,90%) e na região Sul (108,32%). Em contrapartida das outras regiões, houve ampliação da mortalidade por agressões nas regiões Norte (12,08%) e Nordeste (1,78%), frente à diminuição da mortalidade por acidentes de transporte em todas as regiões do país (22,68%), com a maior redução na região Sudeste (32,05%).

Conclusões/Considerações finais

O conhecimento das principais causas de mortalidade por região - bem como das características individuais mais frequentes nos óbitos analisados - é fundamental para guiar medidas de saúde pública com o fito de combater a crescente mortalidade por trauma no país.

Área

Urgência e Emergência

Instituições

Universidade Federal da Bahia - Bahia - Brasil

Autores

LEVI CARDOZO SANTOS, Ana Luísa Aguiar Almeida Silva, Luis Emanoel Reis dos Santos, Beatriz Barbosa Viana, Aurélio Murilo Vilas Boas Pedreira, André Gusmão Cunha