Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ACRODERMATITE CONTINUA DE HALLOPEAU TRATADA COM SUCESSO COM INIBIDOR DA INTERLEUCINA-17

Fundamentação/Introdução

A Acrodermatite Contínua de Hallopeau (ACH) é uma doença crônica, recorrente e de etiologia desconhecida, caracterizada principalmente por erupção pustular recidivante e estéril nas regiões ungueal e periungueal, e eventualmente na região dorsal dos dedos, sendo considerada uma variante incomum da psoríase pustular. A ACH não é facilmente tratada com as diversas medicações antipsoriásicas tópicas e sistêmicas existentes e, devido à gravidade da doença, não existem ensaios clínicos randomizados para avaliar as opções terapêuticas ou diretrizes internacionais para o manejo desta doença disponíveis.

Objetivos

Relatar caso de paciente com ACH tratada com inibidor da interleucina-17 (IL-17), medicação utilizada para Psoríase Pustular Generalizada (PPG).

Delineamento e Métodos

Relato de Caso.

Resultados

Paciente, 54 anos, sexo feminino, com relato de lesões pustulosas em quirodáctilos há 3 anos. Apresentava pústulas em falanges distais, paroníquia e distrofia ungueal. O exame histopatológico foi compatível com ACH. Durante o acompanhamento a paciente fez uso de acitretina, proprionato de clobetasol, metotrexato e associação de calcipotriol e betametasona sem resposta favorável. Apresentava prejuízo da qualidade de vida e social, o que resultou em absenteísmo no trabalho. Dessa forma, optou-se pelo uso do secuquinumabe (inibidor da IL-17) para controle do caso, obtendo melhora importante do quadro com apenas 4 semanas de tratamento.

Conclusões/Considerações finais

Apesar de entidades distintas, a ACH e a PPG estão relacionadas a nível genético e há estratégias de tratamento baseadas em padrões de expressão de citocinas patogênicas não avaliadas para ACH. Há relatos de boa resposta do secuquinumabe na psoríase em placas e em doenças pustulares, sendo considerada como opção terapêutica, uma vez que havia controle inadequado do quadro, apesar do uso de várias medicações tópicas e sistêmicas. A paciente relatada obteve sucesso no tratamento, com controle do quadro, mostrando que o secuquinumabe representa uma boa alternativa para os casos de ACH que não responderam adequadamente às terapias convencionais. O tratamento precoce dessa condição é importante para evitar seus efeitos destrutivos e incapacitantes, além das limitações sociais impostas pela doença. Existem poucos trabalhos mostrando os resultados do inibidor da IL-17 no tratamento da ACH, o que justifica a necessidade de ensaios e relatos mostrando os resultados e a eficácia do tratamento com essa medicação.

Palavras-chave

Psoríase; Acrodermatite de Hallopeau; Imunobiológico; Dermatose Neutrofílica.

Área

Dermatologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

JOÃO VICTOR BEZERRA RAMOS, MARIA GABRIELA MEDEIROS CUNHA DE ARAUJO, RAYANNE THALYA MOREIRA LOPES, JOANNE ELIZABETH FERRAZ DA COSTA, ESTHER BASTOS PALITOT