Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COMPARAÇAO DA TAXA DE MORTALIDADE POR IAM EM ADULTOS ANTES E DEPOIS DA IMPLEMENTAÇAO DO PROTOCOLO IAM EM SALVADOR.

Fundamentação/Introdução

O infarto agudo do miocárdio (IAM) é definido como a morte celular de uma região do músculo do coração, devido a formação de um coágulo que interrompe o fluxo sanguíneo de forma súbita. Neste contexto, foi implantado o Protocolo IAM em julho de 2009, a fim de reduzir as complicações e a mortalidade decorrentes do infarto.

Objetivos

Comparar a taxa de mortalidade por IAM em adultos antes e depois da implementação do Protocolo IAM em Salvador.

Delineamento e Métodos

Refere-se a um estudo ecológico, com dados obtidos do Sistema de Internações do SUS, publicados pelo Ministério da Saúde através do DATASUS. Foram analisados os 10 anos antecedentes à implantação do Protocolo IAM (junho de 1999- junho de 2009) e os 10 anos posteriores (agosto de 2009 – agosto de 2019). Os dados coletados foram referentes à faixa etária de 20-59 anos, internações, valor total gasto, média de permanência e taxa de mortalidade, no município de Salvador.

Resultados

A média da taxa de mortalidade antes da implementação do Protocolo IAM foi de 8,76, enquanto após foi de 5,75, representando uma redução de 34,4%. Ademais, a média de permanência reduziu 9,4%, sendo 10,15 antes e 9,2 depois. No entanto, no período que precedeu o protocolo, o número de internamentos foi de 2.301, já depois foi de 4.594, refletindo em um aumento de 99,65%. Por fim, a prevalência de internamentos no ano de 2008 foi de 0,017%, ao passo que a de 2010 foi de 0,021%.

Conclusões/Considerações finais

Notou-se uma redução expressiva da taxa de mortalidade e, em menor grau, da média de permanência, dos pacientes com infarto agudo do miocárdio, ao comparar os períodos antes e depois da implementação do Protocolo IAM. Este fato pode estar associado à eficácia desta medida na abordagem precoce, garantindo maior sobrevida e menos complicações. Em contrapartida, observou-se um aumento do número de internamentos no mesmo período analisado, podendo estar atrelado a subnotificações anteriores ao Protocolo.

Palavras-chave

Infarto do miocárdio, Protocolos, Mortalidade.

Área

Urgência e Emergência

Instituições

Liga Baiana de Atendimento Pré-Hospitalar (LIBAPH) - UNIFACS - Bahia - Brasil

Autores

GABRIELA TORRES, Manoel Victor Ribeiro, Liz Ulm Ferreira Velloso, Bianca Mendes Coelho, Rebeka Freitas Santos Lemos, Gabriela Malaquias Barreto Gomes