Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

OCORRENCIA DE HELMITOFAUNA EM ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL EM IRANDUBA, AM

Fundamentação/Introdução

As enteroparasitoses ocorrem devido às péssimas condições de saneamento básico e à precária higiene domiciliar e pessoal ou coletiva. Em várias regiões brasileiras, como a Amazônia, pode ser observado um aumento na incidência dessas enfermidades, sobretudo em crianças onde podem acarretar, entre outros sintomas; anemia, convulsões, obstrução entérica e prurido anal,
comprometendo assim, o aprendizado dos indivíduos infectados.

Objetivos

O presente trabalho objetivou verificar a prevalência de helmintos intestinais entre estudantes do ensino fundamental, turno diurno, em duas escolas da rede pública municipal de Iranduba, Amazonas.

Delineamento e Métodos

Entre junho e dezembro/2019, 120 estudantes das séries iniciais do ensino fundamental e com idade variando entre 06 e 10 anos tiveram suas amostras fecais coletadas e posteriormente analisadas no Laboratório de Parasitologia da Universidade do Estado do Amazonas, onde foram usadas as técnicas de Hoffman e Kato-Katz para a identificação de Ascaris lumbricoides, dos ancilostomídeos, de Enterobius vermicularis e de Trichuris trichiura. O método de Baermann-Moares foi usado na identificação de Strongyloides stercoralis. Para comparar a presença ou não de helmintos conforme o sexo estudado foi realizado o Teste t de Student.

Resultados

Os parasitas mais freqüentes foram A. lumbricoides (50%), os ancilostomídeos (25%), E. vermicularis (15%) e S. stercoralis (10%). O
poliparasitismo foi observado em 80% das amostras analisadas. Os sintomas mais freqüentes foram anemia (60%), perda ponderal (20%) e dor abdominal (10%). Não houve diferenças estatísticas quando comparada a ocorrência de helmintos segundo o sexo estudado (p>0,05).

Conclusões/Considerações finais

Apesar das boas condições higiênicas e sanitárias das escolas visitadas, foi observado uma elevada frequência de parasitas nas amostras coletadas, fato que pode ser explicado pelas condições ambientais, econômicas e sociais que as crianças estão submetidas. Assim, sugere-se que o poder público responsável elabore e execute políticas que possam reduzir a incidência de parasitoses incluindo, neste caso; palestras sobre o tema e atendimentos ambulatoriais nas áreas estudadas.

Palavras-chave

Enteroparasitoses, discentes, Amazonas.

Área

Infectologia

Instituições

UEA - Amazonas - Brasil

Autores

WUERLES BESSA BARBOSA