Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE TEMPORAL DA MORTALIDADE POR DOENÇA DE ALZHEIMER NO NORDESTE BRASILEIRO: COMPARAÇAO ENTRE DOIS QUINQUENIOS

Fundamentação/Introdução

A doença de Alzheimer (DA) é a síndrome demencial mais comum entre a população com mais de 60 anos e sua prevalência continua crescendo. A literatura sobre o perfil de mortalidade por DA no país é escassa e a maioria dos trabalhos remonta há décadas anteriores.

Objetivos

Descrever e analisar o perfil temporal da mortalidade por DA no Nordeste do Brasil, comparando dados de quinquênios seguidos.

Delineamento e Métodos

Estudo ecológico de série temporal. As unidades de análise foram as 133 Regiões de Saúde (RS) do Nordeste do Brasil. Os dados de casos e das populações foram coletados pelo site do Departamento de Informática do SUS (DATASUS). Foram calculadas as taxas de mortalidade anuais ajustadas por sexo e idade para a DA nas RS de 2010 a 2019, segmentados em dois blocos de análise comparativa com cinco anos em cada. Utilizou-se um modelo de probabilidade de Poisson e simulações de Monte Carlo (999 permutações) para detectar clusters de risco na distribuição temporal dos dados com significância de 5%.

Resultados

O sexo feminino representou a maioria das mortes por DA em todas as idades, totalizando 6059 (62,42%) óbitos entre 2010-2014 e 11371 (63,24%) no período seguinte. Em ambos os sexos para 80 anos ou mais, observou-se 6990 óbitos (72,01%) no primeiro quinquênio e 13573 óbitos (75,49%). Nesta faixa etária, o aumento da taxa de mortalidade durante os primeiros cinco anos estudados foi de 43,28% (p=0,01) para o sexo masculino e de 38,94% (p=0,04) para o feminino. No quinquênio seguinte, este aumento foi de 24,94% (p=0,03) para homens e de 22,06% (p=0,08) para mulheres. Apesar do aumento no número absoluto de óbitos, observou-se uma tendência de queda nas taxas de crescimento anual da mortalidade para ambos os sexos, notadamente entre mulheres, e todas as idades no segundo quinquênio. Verificou-se um cluster temporal de alto risco de mortalidade por DA em 2012-2014 (RR: 1,36; p=0,001) para o sexo feminino e (RR:1,35; p=0,001) para o masculino. No segundo quinquênio, apenas 2019 apresentou um cluster de alto risco (RR: 1,18; p=0,001) para mulheres e 1,16 (RR: 1,21; p=0,001) para homens.

Conclusões/Considerações finais

Destaca-se a tendência temporal de aumento da mortalidade por DA no Nordeste do Brasil que perpassou toda a década analisada e desacelerou no segundo quinquênio como um indicador de saúde pública, reforçando a necessidade de estratégias de assistência direcionadas aos portadores de doenças crônicas degenerativas no país.

Palavras-chave

Doença de Alzheimer; Demência; Mortalidade; Série Temporal; Análise por Conglomerados.

Área

Neurologia

Instituições

Universidade Federal de Pernambuco - Pernambuco - Brasil

Autores

BRUNO VINICIUS NASCIMENTO DA SILVA, LUIZ HENRIQUE LÉLIS MIRANDA, SARAH CAVALCANTI GUEDES