Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANOREXIA NERVOSA DE DIFICIL DIAGNOSTICO EM PACIENTE COM DEPRESSAO: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A Anorexia Nervosa (AN) é um transtorno alimentar (TA) que acomete, sobretudo, mulheres adolescentes e constitui causa de morte entre as patologias psiquiátricas. Expressa-se por inanição autoinduzida, busca obstinada por magreza ou medo de engordar. Pode cursar com exercícios físicos excessivos, distorção de imagem corporal e atitudes purgativas.

Objetivos

Relatar caso de difícil diagnóstico de AN mascarada por negação de sintomas típicos e pela associação com comorbidade.

Delineamento e Métodos

JBGP, 15 anos, feminino, solteira, natural e procedente de João Pessoa. Relata insônia, baixa autoestima, ansiedade, tristeza, diminuição de apetite, automutilação, tricotilomania, solidão e tentativa suicida medicamentosa, gerando hipótese diagnóstica de depressão. Revela desejo de emagrecer, exercício para perder peso, indução de vômitos, sugerindo AN, mas nega restrição alimentar e assume-se magra. O uso de venlafaxina, alprazolam e carbonato de lítio melhorou a interação social, resultou no desejo de cursar Psicologia e reduziu a aflição com o peso corporal. Mantendo apenas venlafaxina com dose reduzida, retorna a preocupação com o peso e, 1 ano e 3 meses após o início da assistência psiquiátrica declara consciência de perder tempo com tais pensamentos, busca consulta com nutróloga e aceita sua imagem deformada pela magreza.

Resultados

A posteriori, abandona a medicação, com conseguinte retorno dos sintomas alimentares e depressivos e grande perda de peso. Aos 18 anos, aceita o baixo peso, deseja ganhar massa muscular, porém, opta pelo vegetarianismo e usa tal mudança para seguir a doença sem culpa, engordando sem pensar no corpo. Nova pausa no tratamento faz as ideias alimentares voltarem, sem afetar a autoimagem e ela consegue confessá-las à família, após 3 anos, negando, contudo, TA e reafirmando depressão e ansiedade. Ao mudar os antidepressivos, a ideação suicida retorna e ela alega o contexto familiar como gatilho para a depressão e para o TA.

Conclusões/Considerações finais

Sabe-se que a depressão pode acompanhar a AN, o que incita questionar a relação causa-efeito entre elas. O presente caso torna-se de difícil diagnóstico em razão da sobreposição de sintomas depressivos somados a um TA camuflado por ausência da autopercepção distorcida e da indução de inanição. Alerta-se, pois, para a relevância de trabalhos psicodinâmicos esclarecedores dessa associação tênue, sobretudo, por constituírem patologias psiquiátricas de alta mortalidade.

Palavras-chave

anorexia nervosa; mascarada; depressão; diagnóstico

Área

Psiquiatria

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

MARIA GABRIELA MEDEIROS CUNHA DE ARAUJO, MARIA CONCEIÇÃO DE MEDEIROS SIMÕES, JOÃO VICTOR BEZERRA RAMOS, MARCELA CAVALCANTI CARVALHO DE GUSMÃO, RÉRYCKA BEATRIZ LINS DE ANDRADE, ESTÁCIO AMARO DA SILVA JÚNIOR