Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DO CONHECIMENTO E USO DO CIGARRO ELETRONICO ENTRE OS ESTUDANTES DE MEDICINA

Fundamentação/Introdução

O cigarro eletrônico (CE) é um dispositivo que fornece nicotina e outras substâncias em aerossol ao usuário. O aparelho vem se popularizando no Brasil, gerando controvérsias sobre seu uso e possíveis riscos, sendo a população jovem o grupo mais vulnerável. A ausência de políticas de regulação e controle de qualidade faz com que a segurança desses dispositivos seja de difícil determinação e o potencial risco para a saúde permaneça incerto.

Objetivos

Constatar a prevalência do uso do CE em pessoas antes não fumantes e a necessidade do desenvolvimento de mais pesquisas acerca do tema.

Delineamento e Métodos

Estudo transversal e descritivo, de caráter quanti-qualitativo, realizado através da aplicação de formulário eletrônico a estudantes de medicina.

Resultados

O formulário foi respondido por 490 estudantes, de 17 a 41 anos, procedentes da PB (81,6%), PE, RN, AL, BA, CE, MA, PI, RO, TO, MG, GO e SC. 57,6% eram do sexo feminino e 42,4%, masculino. 97,3% afirmaram conhecer o CE, e 61%, ter feito uso deste ao menos uma vez. 24,5% afirmaram ter experimentado uma vez, 13,1% relataram uso infrequente/mensal, 11,2% semanal, 4,9%, frequente (2 ou mais vezes na semana), e 7,3%, diário. Em relação ao uso prévio de cigarro convencional, 78,8% não o faziam, 19,2% o faziam rara ou socialmente, e 2%, com frequência. Ao serem questionados sobre os malefícios à saúde causados pelo CE, 10,4% afirmaram não haver. Das 366 respostas, os prejuízos à saúde mais citados foram inflamação do trato respiratório alto e baixo, neoplasias de pulmão e dependência. Em menores proporções, foram mencionadas outras neoplasias – boca, laringe – problemas cardiovasculares, alterações do sistema nervoso, impotência sexual, distúrbios gástricos, intoxicação por metais pesados e transtornos psicológicos. Uma proporção significativa dos participantes acredita que os efeitos do CE sejam semelhantes ao convencional, havendo algumas discordâncias.

Conclusões/Considerações finais

A prevalência de conhecimento do CE neste estudo foi superior à encontrada em outros estudos. Pudemos observar que uma quantidade significativa relatou seu uso, pelo menos uma vez, e que quase 80% não usava cigarro convencional. Isso sugere que a propagação do CE está aumentando a população fumante exposta. Mais de 10% negaram haver malefícios à saúde relacionados ao CE, e uma baixa proporção mencionou problemas cardiovasculares. Devido à disseminação recente do CE, faz-se primordial o desenvolvimento de mais pesquisas científicas acerca do tema.

Palavras-chave

Cigarro eletrônico, Dispositivo e Saúde.

Área

Clínica Médica Geral

Instituições

Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba - Paraíba - Brasil, Faculdade de Medicina de Olinda - Pernambuco - Brasil, Faculdade de Medicina Nova Esperança - FAMENE - Paraíba - Brasil

Autores

EMILLY BRUNA SOARES RODRIGUES, Beatriz Ribeiro Coutinho de Mendonça Furtado, Matheus Lira Dore, Thais Almeida Goes Vieira de Melo, Renan Baracuhy Cruz Viana, Rayanne Kalinne Neves Dantas