Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL CLINICO-EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES EM CUIDADOS PALIATIVOS ATENDIDOS EM SERVIÇO DE URGÊNCIA GERAL

Fundamentação/Introdução

Os pacientes procuram o pronto socorro (PS) para alívio imediato da dor ou de outros sintomas físicos. Os profissionais que atuam no PS são treinados para prestar cuidados focados no tratamento direcionado a doenças agudas, mas podem fornecer intervenções paliativas para gerenciar as exacerbações de doenças crônicas ou os cuidados próximos ao fim da vida em pacientes em cuidados paliativos (CP). Conhecer o perfil dos pacientes em CP atendidos no PS é imprescindível para implementação de medidas direcionadas para melhorar o atendimento a esses pacientes.

Objetivos

Descrever o perfil clínico-epidemiológico dos pacientes em CP atendidos no PS.

Delineamento e Métodos

Estudo transversal, observacional, descritivo, retrospectivo, de pacientes adultos de ambos os sexos, em CP atendidos em uma unidade de pronto atendimento – UPA, no período de nov/2019 a jul/2020. O estudo teve aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa antes do início da coleta de dados.

Resultados

Foram analisados prontuários de 83 pacientes com média de idade de 78,5 (±14,3). Houve predominância do sexo feminino (61,4%). A maioria era procedente do domicílio (87.9%) e possuíam ≥2 doenças secundárias (61,4%). Havia a presença de cuidador em 91.57%, predominando o cuidador familiar não-remunerado (76.3%). Sobre atendimento prévio, 44,58% haviam procurado o PS há <1 mês. Quanto a doença de base, 68,6% era oncológica e 31,3% não-oncológica. O câncer de próstata representou a principal causa oncológica (30,7%), seguido de neoplasia hepática e das vias biliares (15,4%). Nos casos de base não-oncológica, foi mais frequente a síndrome de fragilidade (42,10%) e sequela grave de acidente vascular cerebral (17,5%). A principal intercorrência foi a dispneia em 38 pacientes (45.7%), porém 15 eram de casos suspeitos de COVID19 (39,4%). A dor e a dispneia foram mais frequentes nos casos oncológicos (34,6% e 23,0%, respectivamente), seguidos de dispneia e delirium nos casos não-oncológicos (56,1% e 28,0%, respectivamente). A escala de Karnofsky predominou índices de 30% (24,1%) e 40% (24,1%). Houve hospitalização em 59,0%.

Conclusões/Considerações finais

Na nossa amostra, predominou a faixa etária idosa em CP com cuidador presente.

Palavras-chave

Cuidados paliativos; Perfil epidemiológico; Emergência.

Área

Urgência e Emergência

Instituições

Universidade de Pernambuco-UPE - Pernambuco - Brasil, Universidade Estácio de Sá - Pernambuco - Brasil

Autores

ANA CLAUDIA CRISPINIANO SIQUEIRA TORQUATO, LUCAS PEDRO CRISPINIANO DOS SANTOS TORQUATO, THAIS OLIVEIRA CLAIZONI DOS SANTOS