Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ADENOCARCINOMA PRIMÁRIO DE AMPOLA DE VATER: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Introdução: Os tumores da ampola de Vater acometem preferencialmente homens a partir da sexta década de vida e tabagistas. Apesar de raras, a maioria dessas neoplasias são diagnosticadas precocemente e possuem origem esporádica. A determinação da origem desses tumores é complexa, uma vez que a papila duodenal é um local de coalescência de epitélios distintos, que derivam do duodeno, vias biliares (VB) e pâncreas.

Objetivos

Objetivos: relatar um caso raro de adenocarcinoma primário de ampola duodenal.

Delineamento e Métodos

Métodos: revisão de prontuário.

Resultados

Relato de Caso: sexo feminino, 47 anos, sem comorbidades, procurou atendimento em 2019 por desconforto abdominal e vômitos, sendo realizada ultrassonografia de abdômen, evidenciando colelitíase, sendo indicada cirurgia. Em abril de 2020 iniciou plenitude pós-prandial, que evoluiu com perda ponderal de 6 quilos em 40 dias, associado a prurido, colúria e icterícia. Foi solicitada colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE), evidenciando tumoração em papila duodenal, com invasão de colédoco e ducto pancreático. Solicitou-se estadiamento e colangioressonância, demonstrando ectasia de Vias biliares, dilatação do hepatocoledoco e formação expansiva papilar. Logo indicada duodenopancreatectomia com linfadenectomia. Ao histopatológico foi diagnosticado adenocarcinoma moderadamente diferenciado de papila duodenal (pT2pN0). Foi solicitada imuno-histoquímica, que foi positiva para os marcadores CK19, CA19.9 e CDX2, corroborando para o diagnóstico de adenocarcinoma intestinal primário de papila duodenal. Foi recomendada quimioterapia (QT) adjuvante com o protocolo FOLFOX (5-fluorouracil, leucovorin com oxaliplatina). Dada raridade da doença e precariedade nas referências bibliográficas para sustentar o papel da QT adjuvante, esta não foi autorizada. Assim foi indicado controle clínico periódico com exames. Atualmente, a paciente encontra-se em acompanhamento com boa evolução.

Conclusões/Considerações finais

Conclusões: Diante de um paciente com quadro de síndrome ictérica de padrão obstrutivo, o diagnóstico de neoplasia de ampola de Vater pode ser considerado como diagnóstico diferencial, pois a sobrevida desses pacientes possui relação direta com o estadiamento ao diagnóstico. Uma característica semiológica que pode direcionar para a suspeita dessa neoplasia é a icterícia flutuante. Dada a raridade da neoplasia, o manejo clínico se torna complexo, por falta de embasamento, assim todas as condutas devem ser individualizadas e junto com equipe multidisciplinar.

Área

Oncologia

Instituições

Faculdade de Medicina de Campos - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

THIAGO TAVARES BERNARDO, Martina Barina Araujo , Yasmim Passos Dias, Letícia Cardoso Rodrigues Pinto, Bianca Viana de Araujo Henriques, Pedro Henrique Ferraro da Silveira