Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Adenocarcinoma anaplásico de Pâncreas – Um desafio desde o diagnóstico até o tratamento: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Dentre as neoplasias do pâncreas, o adenocarcinoma ductal pancreático (ADP) é o tipo histológico mais prevalente (90%), possuindo uma taxa elevada de mortalidade em função do seu mau prognostico. A compreensão da carcinogênesse pancreática é importante para determinar novos alvos terapêuticos e biomarcadores, a fim de auxiliar no diagnóstico precoce e guiar o tratamento.

Objetivos

L.H.R.V, sexo masculino, 56 anos, casado, 2 filhos, natural de Leopoldina e procedente de Campos dos Goytacazes (Rio de Janeiro). Paciente nega comorbidades, uso de medicamentos, alergias. Nega Tabagismo e é etilista social. Em Maio/2020 iniciou quadro de dor abdominal, tendo iniciado investigação a nível ambulatorial. Realizou Ultrassonografia do abdômen, evidenciando imagem pancreática suspeita para neoplasia. Com a persistência do quadro álgico, foi internado, quando realizou ressonância do abdômen, que mostrou massa tumoral na cabeça do pâncreas, medindo 3 cm, sugerindo neoplasia primária do pâncreas. Não havia doença à distância e a lesão era ressecável. Exame físico era inocente e, inicialmente, foi feito a dosagem dos Marcadores tumorais que constatou: CEA: 1,7 / CA 19-9: 2

Delineamento e Métodos

Estudo de caso

Resultados

O laudo histopatológico mostrou se tratar de Neoplasia Maligna pouco diferenciada, composta de dois aspectos – parte representada por adenocarcinoma tipo ductal e parte indiferenciada com células anaplásicas –invasão perineural positiva e maciça, com lesão se estendendo à região periampular, medindo 3,5 x 3 cm, IVL -, margens livres, LFN livres. Já o estudo Imuno-Histoquímico evidenciando Adenocarcinoma Pancreático associado a Carcinoma Indiferenciado (anaplásico) com células gigantes tipo osteoclastos no qual, confirmou ser negativo para instabilidade de microssátelite. Após a cirurgia, foi encaminhado ao serviço de Oncologia clínica, sendo prescrito mFOLFIRINOX adjuvante por 12 ciclos.Na primeira consulta de retorno pós operatório, realizada no dia 29/07/2020, paciente encontrava-se ECOG 1, com diarréia, e perdeu 14 kg.

Conclusões/Considerações finais

O adenocarcinomaductal de pâncreas é uma neoplasia cuja sintomatologia é escassa e inespecífica em seus estágios iniciais, como desconforto abdominal, fadiga e perda ponderal de causa desconhecida. Dessa forma, é de extrema importância o conhecimento dessa patologia e suspeição da mesma quando um pacienteapresenta-se com tal sintomatologia, para a realização de diagnóstico precoce e o correto tratamento.

Palavras-chave

AdenoCarnicona ductal de pancreas
Diferenciação osteoclastica
Anaplasico

Área

Oncologia

Instituições

FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

RONALDO FEREGUETTI JUNIOR