Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL SOCIODEMOGRAFICO E CLINICO DOS PACIENTES DIAGNOSTICADOS COM PE DIABETICO INTERNADOS EM UM HOSPITAL PUBLICO EM SALVADOR-BA

Fundamentação/Introdução

O pé diabético é uma das complicações mais importantes e devastadoras do diabetes mellitus, sendo a causa mais comum de amputações não traumáticas em membros inferiores, gerando alto impacto social, econômico, além de diminuir a qualidade de vida.

Objetivos

O objetivo desse artigo foi descrever o perfil dos pacientes com diagnóstico de pé diabético internados em uma unidade hospitalar de referência e analisar fatores de risco, comorbidades, risco de amputação, grau de conhecimento e tempo de diagnóstico e hospitalização associados a essa doença.

Delineamento e Métodos

Trata-se de um estudo descritivo de caráter transversal, que avaliou 69 pacientes com pé diabético, internados em um hospital público em Salvador-Ba, no período de fevereiro de 2019 a fevereiro de 2020.

Resultados

Constatou-se maior prevalência de pacientes do sexo masculino (52,17%), pardos (56,52%), com faixa etária entre 60 a 79 anos (82,61%) e com baixa escolaridade (83,50%). O número de amputações teve predomínio em homens (66,67%), soteropolitanos, com mais de 60 anos, baixa renda e baixo grau de instrução. O tabagismo foi identificado na maioria dos indivíduos, 53,62%. A hipertensão obteve maior proporção dentre as comorbidades encontradas (89,86%), seguida da dislipidemia (85,51%). Os pacientes com 21 a 30 anos de evolução da doença apresentaram um risco nove vezes maior na proporção de amputação. O tempo médio de internação foi maior para os pacientes que apresentavam doença cardiovascular: 31,24 ± 21,99 dias. O nível de conhecimento dos indivíduos existe, porém se mostra deficitário, visto que dos 45 (65,22%) que afirmam saber sobre sua doença, 26 (72,22%) amputaram; 51 (73,91%) pacientes não realizam cuidado com os pés, dos quais 27 (75%) foram amputados.

Conclusões/Considerações finais

O perfil dos pacientes com pé diabético internados na instituição pesquisada foi de indivíduos com baixo nível socioeconômico e com um conhecimento deficitário sobre a doença, o que pode colaborar para uma maior taxa de amputação dos membros inferiores. Esses dados mostram a necessidade de medidas preventivas e educacionais na assistência ao pé diabético. O controle do diabetes mellitus, as orientações para evitar ulcerações e infecções através dos cuidados adequados com os pés, bem como visitas regulares ao médico, são fundamentais na prevenção de incapacidade e deformidades causadas pela doença.

Palavras-chave

Pé diabético, Fatores de rico, Amputação.

Área

Endocrinologia

Instituições

Universidade do Estado da Bahia - Bahia - Brasil

Autores

MARIO NETO AGUIAR MOREIRA, LEONOR FERNADES TEIXEIRA