Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESCLEROSE SISTEMICA COMO DIAGNOSTICO DIFERENCIAL DE SINDROME DISPEPTICA: RELATO DE CASO CLINICO

Fundamentação/Introdução

A esclerose sistêmica (ES) é uma doença difusa do tecido conjuntivo caracterizada por autoimunidade, vasculopatia progressiva e fibrose de pele e órgãos internos. O trato gastrointestinal é afetado na maioria dos pacientes, que podem permanecer assintomáticos ou apresentar sintomas como disfagia, sensação de refluxo ácido e náuseas, os quais são relacionados à Doença do Refluxo Gastroesofágico.

Objetivos

Descrever o caso de paciente portadora de ES com queixas dispépticas e correlacionar com diagnóstico diferencial de Síndrome Dispéptica.

Delineamento e Métodos

M.A.S, sexo feminino, 40 anos, portadora de esquizofrenia, sem outras comorbidades conhecidas, foi admitida na enfermaria de clínica médica em hospital do Recife com queixas de epigastralgia em queimação, engasgos, sensação de plenitude gástrica e vômitos esporádicos. O internamento se deu para investigação de dispneia aos médios esforços, edema em mãos e alteração da coloração da pele, caracterizada por palidez quando exposição ao frio seguida de cianose.

Resultados

Durante o internamento, ao exame físico, foram evidenciados dor à palpação em epigástrio, dispneia, refluxo hepato jugular, sinais de esclerodactilia em mãos e pés e livedo em membros inferiores. A endoscopia digestiva alta mostrou esofagite intensa grau D de Los Angeles, pangastrite enantematosa intensa e bulboduodenite leve; a ecografia transtorácica demonstrou uma comunicação interventricular perimembranosa sem repercussão hemodinâmica de 0,4cm; radiografia de mãos, pés e cotovelos sem alterações; radiografia do tórax com discreto abaulamento do arco pulmonar, ingurgitamento hilar e cefalização da trama vascular e ultrassonografia de abdome total com fígado de forma e contornos normais e dimensões discretamente aumentadas, com textura homogênea, sem lesões focais e hepatomegalia leve. Nos exames laboratoriais realizados apresentou alteração em: leucócitos=3.100, CPK=1.490, AST=160, ALT=67, DHL=1.675. Diante dos achados de disfagia, esclerodactilia e fenômeno de Raynaud foi aventada a hipótese diagnóstica de Síndrome de Crest com acometimento pulmonar associado. Também foram solicitados FAN, anti-Scl70, eletroforese de proteínas e anticorpo antifosfolípidio, ainda sem resultados. No momento da alta, foi prescrito Domperidona, Nifedipina, Sucrafilm e Pantoprazol e realizado encaminhamento para o reumatologista.

Conclusões/Considerações finais

O caso relatado demonstra a importância da investigação de queixas dispépticas quando associadas a outros achados.

Palavras-chave

scleroderma systemic; dyspepsia; gastroesophageal reflux

Área

Clínica Médica Geral

Instituições

Hospital Maria Lucinda - Pernambuco - Brasil, Universidade Católica de Pernambuco - Pernambuco - Brasil

Autores

ANA CLARA SILVA DE ANDRADE, CARLOS ALBERTO TENÓRIO DE ARAÚJO III, CAROLINA CAVALCANTI BEZERRA, ISABELLE THAYS DE FREITAS RAMOS, MICAELLE SHAYANNE TENÓRIO CALADO PEREIRA, BERNARDO TIMES DE CARVALHO