Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PACIENTE BIO-NAIVE: PASI 90 APOS SECUQUINUMABE COM RESPOSTA ASSOCIADA UNGUEAL, ARTICULAR E NO DLQI

Fundamentação/Introdução

A psoríase é uma doença inflamatória crônica, mediada pelo sistema imune, que acomete principalmente pele e articulações, podendo evoluir com manifestações sistêmicas, e tem importante impacto na qualidade de vida dos pacientes. Atualmente, a imunobiologia modifica as condutas na psoríase cutânea moderada a grave, sendo o secuquinumabe uma escolha após a falha inicial à terapia sistêmica não biológica.

Objetivos

Este trabalho visa demonstrar o sucesso terapêutico obtido com o secuquinumabe em um paciente virgem de biológicos para o controle dos sintomas e a melhoria da qualidade de vida.

Delineamento e Métodos

Homem, 34 anos, fitzpatrick IV, com histórico de depressão, apresenta-se ao ambulatório de dermatologia para tratamento de psoríase. Alega cronicidade do quadro cutâneo com persistência de lesões em áreas expostas, que não responderam ao metotrexato e corticoide tópico. Ao exame dermatológico, apresentava lesões eritematodescamativas e espessas em couro cabeludo, região retroauricular e frontal da face, além de placas isoladas em membros superiores e inferiores e tronco; presença de onicólise, manchas em óleo e hiperqueratose subungueal nos pés; dactilite, dor à palpação e dedos em salsicha. Índice da Gravidade da Psoríase por Área (PASI) 13,2; Índice de Qualidade de Vida em Dermatologia (DLQI) 22. Relata dores em região lombossacral de caráter inflamatório e piora no repouso, que não cediam com analgesia comum. Urgência hospitalar com uso parenteral de opióides para alívio das crises álgicas. Ausência de contraindicações para o uso de imunobiológico.

Resultados

Realizado tratamento com secuquinumabe 300mg (subcutâneo), apresentando melhora do PASI (90) e regressão das lesões cutâneas, mantendo discreto eritema em áreas isoladas, sem espessamento ou descamação. Remissão da onicólise e das manchas em óleo, permanecendo hiperqueratose subungueal de menor intensidade. Melhora evidente dos sintomas articulares e alívio das dores em região lombossacral, sem a necessidade de analgesia complementar. Impacto positivo importante na qualidade de vida do paciente alcançando DLQI 2.

Conclusões/Considerações finais

A resposta com secuquinumabe foi positiva no quadro cutâneo, ungueal, articular e, também, no DLQI. É notória a relevância de compreender a psoríase com as suas múltiplas facetas para humanizar o manejo de cada caso, devendo nortear a investigação diagnóstica, a escolha terapêutica e a necessidade do acompanhamento multidisciplinar.

Palavras-chave

Psoríase. Depressão. Secuquinumabe. DLQI.

Área

Dermatologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

RAQUEL HELLEN DE SOUSA MUNIZ, BRUNNA PATRÍCIO SANTOS, JOÃO MARCOS SILVA DE LIMA, EMMANUEL LAWALL DOMINGOS, JOANNE ELIZABETH FERRAZ DA COSTA, ESTHER BASTOS PALITOT