Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O IMPACTO DA PANDEMIA DE COVID-19 NO NUMERO DE DIAGNOSTICOS DE CANCER DE MAMA NA POPULAÇAO FEMININA NO BRASIL

Fundamentação/Introdução

No Brasil, o câncer de mama é a neoplasia maligna que mais atinge a população feminina, excetuando-se o câncer de pele não melanoma, desse modo, foi estimado que ocorreriam 66.280 novos casos neste ano (INCA, 2020). Nesse sentido, o rastreamento dessa doença possui grande relevância para o diagnóstico precoce e o melhor prognóstico. Entretanto, no contexto da pandemia de COVID-19, é possível que muitas mulheres deixem de realizar exames de rastreamento e detecção, principalmente as idosas, por se caracterizarem como grupo de risco.

Objetivos

Analisar e comparar o número de diagnósticos de neoplasias malignas da mama na população feminina nos últimos 4 anos no Brasil, de modo a compreender os possíveis desfechos da pandemia do COVID-19.

Delineamento e Métodos

Trata-se de um estudo transversal, analítico e retrospectivo, com uma abordagem quantitativa em base de dados secundárias. Foram utilizados dados do DATASUS no intervalo de 01 de janeiro de 2017 até 15 de outubro de 2020, na plataforma Painel-Oncologia, com as variáveis sobre número de diagnósticos de neoplasias malignas da mama, sexo e faixa etária dos pacientes. Além da estimativa 2020 do número de neoplasias malignas no Brasil na plataforma do INCA.

Resultados

Durante o período observado, foi notória a redução no número de diagnósticos de neoplasias malignas de mama em 2020 no Brasil. Além disso, constatou-se uma redução de 66,55% em relação ao estipulado para 2020; de 66.280 casos estimados, foram apenas registrados 22.167 casos de câncer de mama até 15 de outubro de 2020. Em comparação ao ano de 2019, a queda nos diagnósticos foi de 46,95%, de 41.786 para 22.167; e relativo ao ano de 2018 foi de 33,14%, de 33.153 para 22.167. É pertinente ressaltar, ainda, que ao fazer um comparativo com anos prévios, percebe-se que o número de diagnósticos se caracterizava por uma progressão crescente entre os anos de 2017 e 2019, de 32.660 para 41.786. Já referente à faixa etária em 2020, as mais afetadas foram as mulheres com idade igual ou mais de 70 anos, o qual houve uma redução de cerca de 53% quando comparado ao ano de 2019.

Conclusões/Considerações finais

Ratifica-se que há relevante redução no número de diagnósticos de neoplasias malignas de mama em 2020, em comparativo aos anos analisados. Essa diminuição foi mais observada nas faixas etárias consideradas como de risco para COVID-19, situação que pode acarretar diagnósticos mais tardios com pior prognóstico.

Palavras-chave

Infecções por Coronavirus; Diagnóstico; Neoplasias da mama.

Área

Oncologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

GABRIEL FERNANDO VASCONCELOS TELES, Bianca Maria Barros Souza, Thomaz Feijó de Albuquerque, Matheus Soares Lustosa, Henrique Dias Lima, Lakymê Ângelo Mangueira Porto