Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ASPECTOS EPIDEMIOLOGICOS DOS CASOS NOTIFICADOS DE DENGUE NA REGIAO NORDESTE ENTRE 2017 E 2019

Fundamentação/Introdução

A Dengue é uma doença de etiologia viral e consiste em uma importante arbovirose que acomete a população brasileira. É transmitida pelo mosquito Aedes aegypti e configura-se como uma doença de notificação compulsória, o que evidencia sua relevância na saúde pública.

Objetivos

Estabelecer o perfil epidemiológico dos casos notificados de Dengue na região Nordeste brasileira no período entre 2017 e 2019.

Delineamento e Métodos

Foi realizado um estudo transversal, retrospectivo e documental, utilizando a base de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). As variáveis analisadas foram: sexo, faixa etária, unidade federativa de residência, critério de confirmação, evolução e mês de notificação.

Resultados

No período considerado, observou-se um crescimento de 155% do número de casos na região, passando de 84.845 em 2017 para 216.795 em 2019. Em todo o período avaliado, a doença foi mais prevalente no sexo feminino, representando 55,2% do total. A faixa etária mais atingida foi entre 20 e 39 anos em todos os estados da região. O critério de confirmação mais utilizado foi o clínico epidemiológico, o qual representou 44,3% dos casos em todo o período estudado, sendo válido ressaltar que em 37,3% das fichas esse dado foi deixado em branco ou ignorado. Foram registrados, também, 244 óbitos pelo agravo notificado, 135 óbitos em investigação e 80 óbitos por outra causa, com os dados sobre a evolução do caso deixados em branco ou ignorados em 46,7% das fichas de notificação. Em 2019, ano com maior número de casos, o estado de Alagoas apresentou a maior incidência, com cerca de 673,5 casos a cada cem mil habitantes, seguido da Paraíba e da Bahia, com 470,7 e 459,7 casos a cada cem mil habitantes, respectivamente. Ao longo dos três anos, a maior parte das notificações ocorreu entre os meses de abril e agosto, com pico no mês de maio.

Conclusões/Considerações finais

Os resultados do estudo permitiram observar um elevado crescimento dos casos de Dengue ao longo dos últimos três anos na região Nordeste. Ademais, mulheres com idade entre 20 e 39 anos constituíram o perfil epidemiológico da doença. A presença de maior número de notificação de casos em meses com maior pluviosidade coincide com estudos semelhantes que procuraram fazer tal correlação. A análise realizada constatou a necessidade de se incentivar o preenchimento completo das fichas de notificação, a fim de auxiliar o conhecimento do perfil epidemiológico da Dengue na região.

Palavras-chave

Aedes aegypti; Doenças Endêmicas; Epidemiologia.

Área

Infectologia

Instituições

UFPB - Paraíba - Brasil

Autores

LOUYSE JERONIMO DE MORAIS, Ana Beatriz Medeiros e Paula, André Luiz Pinto Fabrício Ribeiro, Gabriel Fernando Vasconcelos Teles, Luíza Alcântara Pontes de Lemos, Veriana Márcia da Nóbrega