Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O IMPACTO DA PANDEMIA DA COVID-19 NO NUMERO DE DIAGNOSTICOS DE CANCER DE PROSTATA NO BRASIL

Fundamentação/Introdução

A neoplasia maligna da próstata é o segundo tipo de câncer que mais afeta os homens no Brasil, sendo estimado o diagnóstico de 65.840 novos casos neste ano (INCA, 2020). Nessa perspectiva, os exames de rastreamento possuem importância para a detecção precoce desse câncer e, consequentemente, um diagnóstico precoce e melhor prognóstico. Entretanto, o contexto da pandemia da COVID-19 impôs obstáculos no acesso à saúde, podendo inviabilizar o acesso e os materiais para rastreio e detecção do câncer de próstata.

Objetivos

Analisar e comparar o número de diagnósticos de neoplasia maligna da próstata nos últimos 4 anos, de modo a melhor compreender os possíveis efeitos da pandemia da COVID-19.

Delineamento e Métodos

Trata-se de um estudo transversal, retrospectivo e analítico, com uma abordagem quantitativa nas bases de dados secundárias. Foram utilizados dados do DATASUS na plataforma Painel-Oncologia no período de 1 de janeiro de 2017 até 15 de outubro de 2020, sendo como critérios de inclusão: diagnóstico de neoplasia maligna da próstata e idade entre 18 a 80 anos ou mais, sem distinção de raça. Também foram utilizados dados da estimativa 2020 do INCA.

Resultados

Constatou-se uma redução de 78,27% em relação ao estipulado para 2020 nos dados até 15 de outubro de 2020, de 65.840 para 14.958, com menos de 3 meses para o fim do ano. É pertinente ressaltar, ainda, que ao fazer um comparativo com anos prévios, percebe-se que o número de diagnósticos crescia, sendo de 2017 para 2018 uma progressão de 47,47%, enquanto de 2018 para 2019 houve um aumento de 19,81%. Além disso, é notória a queda de detecções entre a população de 55 até 80 + anos, população alvo para rastreamento, havendo uma diminuição de 61,94% em relação ao ano de 2019. Outrossim, nesta faixa etária se concentra a população de risco para COVID-19.

Conclusões/Considerações finais

É possível afirmar que houve uma redução expressiva no número de novos diagnósticos de neoplasias malignas de próstata em 2020. A pandemia COVID-19 impactou na logística e no acesso desta população vulnerável e de risco para câncer de próstata e, também, COVID-19, desfavorecendo o diagnóstico precoce e o melhor prognóstico.

Palavras-chave

Neoplasias da próstata; Diagnóstico; Infecções por coronavírus.

Área

Oncologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - Paraíba - Brasil

Autores

GABRIEL FERNANDO VASCONCELOS TELES, ANA BEATRIZ MEDEIROS E PAULA, ANDRÉ LUIZ PINTO FABRICIO RIBEIRO, Beatriz Brasileiro de Macedo Silva, Rafaela Ribeiro D'Azevedo Carneiro, Thiago Lins da Costa Almeida