Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO: CONTEXTO DAS INTERNAÇOES NA REGIAO NORDESTE DO BRASIL NO PERIODO DE 2010 A 2019

Fundamentação/Introdução

O infarto agudo do miocárdio (IAM) é das doenças mais frequentes nos países ocidentais e continua sendo importante causa de morbidade e de mortalidade populacionais. O estudo dessa patologia é fundamental pela alta prevalência, mortalidade e morbidade da doença. Estudos epidemiológicos revelam taxas de mortalidade geral ao redor de 30%, sendo que metade dos óbitos ocorrem nas primeiras duas horas do evento e 14% morrem antes de receber atendimento médico.

Objetivos

Traçar o perfil epidemiológico das internações por infarto agudo do miocárdio na região nordeste do Brasil nos últimos 10 anos.

Delineamento e Métodos

Estudo epidemiológico, retrospectivo, descritivo e quantitativo feito a partir da coleta de dados disponibilizados no DATASUS – Sistema de Informação Hospitalar do SUS (SIH/SUS). O período de análise foi delimitado entre janeiro de 2010 e dezembro de 2019. Foram pesquisadas internações totais a partir do ano de atendimento, unidade da federação, sexo, cor/raça, faixa etária, número de óbitos e taxa de mortalidade.

Resultados

Foram notificadas 193.321 internações no período estudado, 19,4% das internações no Brasil, sendo o ano de 2019 o ano com maior número de internações, 24.414, (12,6%). A Bahia apresentou o maior número de internações, 57.046, o que representa 29,5% das internações por IAM na região nordeste no período estudado. O Maranhão teve o maior aumento percentual de internações, 2,31. Houve o predomínio do sexo masculino, com 114.918 (59,4%), e de indivíduos Pardos (40%). Relativo à idade, a faixa etária dos 60-69 anos apresentou o maior número de internações, 55.104 (28,5%). Foi registrado um total de 24.361 óbitos, com um aumento de 0,56% entre o período estudado. O maior número de óbitos foi registrado pela Bahia, 6.929 (28%), entretanto a maior taxa de mortalidade foi registrada por Alagoas, 17,77; superando a taxa média de mortalidade, que foi de 12,6.

Conclusões/Considerações finais

Os casos de IAM desenham uma curva ascendente nos últimos 10 anos. Observou-se que a maior parte dos pacientes internados eram homens pardos, com idade média de 65 anos e que a região nordeste foi responsável por aproximadamente 20% das internações por IAM no país no período analisado. Assim, tendo em vista o crescimento do número de casos e da taxa de mortalidade, ações de prevenção e promoção de saúde devem ser direcionadas para amenizar o impacto dessa patologia.

Palavras-chave

Infarto Agudo do Miocárdio; Perfil Epidemiológico; Hospitalizações; Cardiologia.

Área

Clínica Médica Geral

Instituições

Universidade Federal de Rondônia - Rondônia - Brasil

Autores

HILDEMAN DIAS DA COSTA, LEO CHRISTYAN ALVES LIMA, LAURA JANE FRANÇA LACERDA, LUIZ FELIPE FAÇANHA RAMOS, MATHEUS AKIRA SUZUKI OLIVEIRA