Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ISQUEMIA INTESTINAL, UMA MANIFESTAÇAO ATIPICA E GRAVE DA INFECÇAO PELO SARS-COV-2: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus 2019 - SARS-Cov-2) pode se manifestar desde formas assintomáticas, até tosse, febre, diarréia, pneumonia e evoluir para complicações cardiovasculares e isquêmicas graves, supostamente causadas por hipercoagulabilidade e/ou endotelite, ainda alvo de estudos.

Objetivos

Descrever uma manifestação atípica, porém de extrema gravidade que está relacionada à COVID-19, para que assim, possamos alertar e trazer à tona uma discussão a respeito do tema.

Delineamento e Métodos

Relatar caso de paciente com fortes indícios de COVID-19 que complicou com isquemia intestinal.

Resultados

A.V., masculino, 64 anos de idade, dá entrada no serviço de urgência com queixa de dispnéia importante, vômitos, coriza e tosse há quatro dias. Satura 82% em ar ambiente. É diabético, hipertenso, ex-tabagista e portador de doença pulmonar obstrutiva crônica. É internado, recebe oxigenioterapia e apresenta melhora clínica. É submetido a tomografia computadorizada de tórax (TC) que aponta achados sugestivos de COVID-19, diagnóstico em aberto até realização de swab. Havia leucocitose às custas de segmentados, aumento da creatinina sérica, da proteína C reativa e leucocitúria importante. Faz uso de ceftriaxona, azitromicina e oseltamivir. Paciente evolui com dor abdominal difusa e defesa à palpação. No terceiro dia de internação é realizada TC abdominal que denota paniculite mesentérica. A dor intensifica-se, localiza-se em flanco direito, ruídos hidroaéreos diminuem, evacuação ausente há dois dias e recusa de dieta oral. No sexto dia de internação introduz-se metronidazol, hidratação venosa pré-contraste, simeticona e requereu-se nova TC com contraste que apontou agravamento da paniculite e presença de coleção. Laparotomia exploradora realizada detectou perfuração ileal terminal com presença de área isquêmica associada e contaminação fecal local, dados confirmados pelo exame histopatológico. Realizou-se enterectomia e ileostomia a Mikulicz, sem intercorrências. Paciente foi admitido no Centro de Tratamento Intensivo, apresentou deterioração do seu quadro clínico e, onze dias após a admissão, veio à óbito, muito provavelmente por complicações tromboembólicas da COVID-19.

Conclusões/Considerações finais

A COVID-19 apresenta uma gama de manifestações clínicas entre elas a isquemia intestinal, pouco discutida e certamente conhecida, o que pode levar a atrasos fatais no tratamento. Reitera-se idem a necessidade de medidas que impeçam o surgimento de novos casos.

Palavras-chave

Isquemia mesentérica; Infecções por coronavírus; Abdome agudo

Área

Gastroenterologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

MAGNO DURAN SILVA DE ANDRADE, JOÃO MARÇAL MEDEIROS DE SOUSA, CLAYTON LEITE DE MOURA, PABLO BENELY SILVA DE ANDRADE