Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

HIPERPARATIREOIDISMO PRIMARIO SECUNDARIO AO USO DE LITIO: UM RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

O hiperparatireoidismo primário(HPTP) é a causa mais comum de hipercalcemia diagnosticada ambulatorialmente. A hipercalcemia é geralmente assintomática, mas pode causar osteopenia, nefrolitíase, sintomas gastrointestinas e neuropsicomotores. As principais etiologias do HPTP são adenoma e hiperplasia da glândula, sendo carcinoma de paratireoide e uso de lítio mais raros. A terapia com lítio é responsável por apenas 5% dos casos, causando estímulo direto à paratireoide, hiperplasia e possível formação de adenoma.

Objetivos

Relatar caso de paciente em uso crônico de lítio, evoluindo com hipercalcemia grave secundária a HPTP.

Delineamento e Métodos

A.S.F.S, sexo masculino, 65 anos, aposentado, hipertenso e portador de transtorno afetivo bipolar, faz uso de losartana há 10 anos e carbonato de lítio há 6 anos. Atendido em Hospital Psiquiátrico devido a agitação psicomotora, fez haloperidol por 2 semanas e foi liberado. Um dia após a alta, evoluiu com rigidez muscular sendo encaminhado para avaliação clínica. Na admissão, apresentava sonolência, rigidez muscular leve em membros superiores e desidratação (2+/4+). Investigação laboratorial evidenciou hipernatremia, hiperferritinemia, aumento ácido úrico, discreto aumento de transaminases, hipercalcemia grave, aumento de PTH, hipovitaminose D e discreto aumento de escórias nitrogenadas.

Resultados

Ultrassonografia (USG) de rins e vias urinárias mostrou nefrocalcinose e densitometria óssea evidenciou osteopenia. Na avaliação de paratireóides, a USG cervical não demonstrou alterações, mas a cintilografia de paratireoide com Sestamibi apresentou captação focal no polo inferior do lobo direito, sendo sugestivo de adenoma de paratireoide. Foi submetido à hidratação venosa e trocado lítio por ácido valpróico, evoluindo com estabilização clínica e melhora da calcemia. Encaminhado para acompanhamento ambulatorial com a endocrinologia para observar possível regressão do adenoma após suspensão do lítio e em caso de refratariedade será encaminhado para cirurgia.

Conclusões/Considerações finais

A abordagem da hipercalcemia secundária ao hiperparatireoidismo deve considerar uso de vitamina D, malignidades, doenças granulomatosas, função tireoidiana, uso de medicamentos, como antipsicóticos. Cerca de 5% dos usuários de lítio tendem a apresentar defeito na regulação cálcio-PTH, induzindo hiperplasia e consequente formação de adenoma na mesma. Trata-se, portanto, de uma causa bem reconhecida na literatura, e apesar de pouco usual, deve ser lembrada na abordagem do diagnóstico diferencial de HPTP.

Palavras-chave

lítio; hiperparatireoidismo primário; hipercalcemia.

Área

Endocrinologia

Instituições

HOSPITAL AGAMENON MAGALHÃES - Pernambuco - Brasil

Autores

RAYANNE MAYARA SILVA DE OLIVEIRA VALGUEIRO DE ANDRADE, IVANILDE VASCONCELOS CAVALCANTI, LETÍCIA DE ARAÚJO CARVALHO, GUTEMBERG ALVES DA SILVA FILHO, FÁBIO LIMA QUEIROGA, FERNANDO ANTÔNIO GALVÃO GONDIM FILHO