Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ASSOCIAÇAO ENTRE FATORES DE RISCO PARA DOENÇA ARTERIAL CORONARIANA E INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO COM SUPRADESNIVEL DE SEGMENTO ST EM PACIENTES ADMITIDOS NO HOSPITAL GERAL DO ESTADO DE ALAGOAS

Fundamentação/Introdução

A doença arterial coronariana é uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo. Particularmente no que tange ao infarto agudo do miocárdio com supradesnível do segmento ST (IAMCSST) ao eletrocardiograma é muito importante a terapêutica mais agressiva visando à recanalização da artéria “culpada” e restabelecer, o fluxo miocárdico interrompido o mais rapidamente possível, o que terá impacto direto na preservação da função ventricular esquerda e no prognóstico de vida do paciente.

Objetivos

Pesquisar a associação entre os cinco principais FR para DAC e IAMCSST numa amostra de pacientes transferidos do Hospital Geral do Estado para um centro de referência de alta complexidade em cardiologia.

Delineamento e Métodos

Estudo observacional, transversal, gerado a partir de um banco de dados. No período de 01/2018 a 02/2019 foram estudados 309 pacientes, todos submetidos a cinecoronariografia (CINE) em um hospital terciário. Do total de pacientes, apenas 12 (3,8%) apresentavam diagnóstico clínico de IAMCSST. Foi feita a correlação entre hipertensão arterial sistêmica (HAS), diabetes mellitus (DM), dislipidemia (DLP), tabagismo (TAB) e história familiar (HF) de DAC, todos autorreferidos, com IAMCSST. Utilizou-se ANOVA para verificar a existência de diferenças nas distribuições entre os grupos. Para a comparação de médias entre grupos, foi utilizado o teste de Levene (verificação da homogeneidade das variâncias), seguido de ANOVA para detectar diferenças nas distribuições entre os grupos. No caso das variáveis categóricas, foi utilizado o teste exato de Fisher. Para todas as análises, considerou-se p significante quando < 0,05.

Resultados

A média de idade da população foi de 61,8 ± 11,0 anos, sendo 165 homens (53,4%), 144 mulheres (46,6%) e 57,9% com idade ≥ 60 anos. Dos 309 pacientes 160 (51,7%) tinham DAC à CINE. Além disso, 3 pacientes com IAMCSST possuem dislipidemia contra 17 sem IAMCSST (p = 0,03). Ainda, 6 pacientes com IAMCSST são fumantes contra 57 sem IAMCSST (p = 0,01).

Conclusões/Considerações finais

Apesar do pequeno número de pacientes com IAMCSST na amostra estudada foi possível detectar associação estatisticamente significante desta patologia com DLP e tabagismo.

Palavras-chave

Infarto do Miocárdio; Doença das Coronárias; Tabagismo; Cardiologia.

Área

Cardiologia

Instituições

Centro Universitário Tiradentes (UNIT/AL) - Alagoas - Brasil, Hospital Geral do Estado de Alagoas (HGE-AL) - Alagoas - Brasil, Hospital Veredas - Alagoas - Brasil, Universidade Federal de Alagoas (UFAL) - Alagoas - Brasil

Autores

JULIA CABRAL BARRETO, Isis Carvalho Miranda, Luiza Maria Rabelo de Santana, Mariana Alves da Cunha, Renata Vasconcelos de Carvalho, Francisco de Assis Costa