Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CORRELAÇAO ENTRE TEMPO DE INTERNAÇAO HOSPITALAR, VIA DE ACESSO, COMPLICAÇOES E OBITO EM CARDIOPATAS ADMITIDOS EM UM SERVIÇO PUBLICO DE ALAGOAS E TRANSFERIDOS A UM CENTRO DE REFERENCIA EM CARDIOLOGIA

Fundamentação/Introdução

As doenças cardiovasculares têm aumentado em todo o mundo nas últimas décadas, como consequência do aumento dos fatores desencadeantes, negligência aos seus fatores de risco e pelo envelhecimento da população. Sabe-se do impacto que o tempo de permanência hospitalar exerce na morbimortalidade e aumento de complicações dos pacientes, além do considerável aumento nos custos hospitalares.

Objetivos

Pesquisar a relação entre tempo de internação em pacientes com e sem doença arterial coronariana (DAC), admitidos no Hospital Geral do Estado, em situações de urgência e emergência cardiovascular, e transferidos para um centro de referência de alta complexidade em cardiologia.

Delineamento e Métodos

Estudo observacional, transversal, através de um banco de dados. No período de 01/2018 a 02/2019 foram estudados 309 pacientes, todos submetidos a cinecoronariografia (CINE) em um hospital terciário. Os pacientes foram transferidos para tratamento de DAC e insuficiência cardíaca, sendo 149 submetidos a tratamento clínico (48,2%), 88 a cirurgia de revascularização miocárdica (28,5%) e 72 a angioplastia coronariana (23,3%). DAC foi definida por diâmetro de estenose ≥ 50% em pelo menos uma artéria coronária, documentada à CINE. Fez-se a associação entre dias de internação, via de acesso (em casos de intervenção coronária percutânea - ICP), complicações gerais (infecções, hematomas, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio, acidente vascular encefálico) e óbito. Para a comparação de médias entre grupos, foi utilizado o teste de Levene (homogeneidade das variâncias), seguido de ANOVA para verificar se existiam diferenças nas distribuições entre os grupos. Para a comparação entre variáveis categóricas foi utilizado o teste do qui-quadrado; p significante quando < 0,05.

Resultados

A média de idade da população foi de 61,8 ± 11,0 anos, sendo 165 homens (53,4%), 144 mulheres (46,6%), 57,9% com idade ≥ 60 anos, FEVE média = 56,8 ± 13,9%, peso médio de 71,9 ± 14,5 kg, IMC médio de 26,4 ± 5,4, sendo que 180 pacientes (64,7%) apresentavam IMC ≥ 25 kg/m2. Vale salientar que dos 309 pacientes 160 (51,7%) tinham DAC à CINE.

Conclusões/Considerações finais

A maior permanência hospitalar aumentou o índice de complicações gerais e óbito na população estudada, com resultados estatisticamente significantes. Nos pacientes submetidos a ICP a via femoral aumentou significativamente o período de internação desses pacientes.

Palavras-chave

Hospitalização, Complicações, Cardiopatias

Área

Cardiologia

Instituições

Centro Universitário Tiradentes - Alagoas - Brasil, Hospital Geral do Estado - Alagoas - Brasil, Hospital Veredas - Alagoas - Brasil, Universidade Federal de Alagoas - Alagoas - Brasil

Autores

ISIS CARVALHO MIRANDA, Luiza Maria Rabelo Santana, Julia Cabral Barreto, Renata Vasconcelos De Carvalho, Mariana Alves Da Cunha, Francisco De Assis Costa