Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DESAFIOS NO DIAGNOSTICO DE ENDOCARDITE INFECCIOSA: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A endocardite é uma doença em que agentes infecciosos invadem as superfícies endocárdicas, produzindo danos. Ainda que infrequente, a mortalidade persiste alta. O diagnóstico torna-se desafiador e baseia-se nos critérios modificados de Duke.

Objetivos

Descrever a avaliação diagnóstica da endocardite infecciosa (EI) para paciente com suspeita clínica e hemocultura negativa.

Delineamento e Métodos

Paciente do sexo masculino, 37 anos, deu entrada ao serviço de emergência com história de astenia, mialgia, vômitos e febre há quatro dias. Ao exame físico apresentava-se consciente, desorientado, acianótico, ictérico, desidratado e hemodinamicamente estável. Ausculta cardíaca: sopro cardíaco em foco mitral. Ausculta respiratória: murmúrio vesicular presente em ambos hemitórax. Abdome plano, tenso, com hepatomegalia e ruídos hidroaéreos ausentes. Instalada sonda vesical de demora apresentando colúria. Iniciado antibioticoterapia, porém evoluiu com rebaixamento do nível de consciência e piora do padrão respiratório. Foi submetido a intubação orotraqueal e transferido para unidade de terapia intensiva, sendo trocado o esquema de antibiótico. Em virtude do sopro cardíaco teve como hipótese diagnóstica inicial EI, mas as hemoculturas para aeróbios foram negativas. Interrogadas as seguintes hipóteses diagnósticas: Síndrome febril, icterícia, hepatomegalia a esclarecer, leptospirose e hepatite transinfecciosa secundária a EI. Sete dias após admissão evoluiu em estado grave, com quadro de lesões cutâneas isquêmicas e vasculites, sendo submetido a amputação de hálux e 4º pododáctilo esquerdo. Sorologias para HIV, leptospirose, hepatites B/C e dengue (negativas), apresentou alterações dos níveis de bilirrubina direta. Colhida nova hemocultura e solicitado ecocardiograma transtorácico. Escalonada antibioticoterapia para meropenem, vancomicina e gentamicina.

Resultados

O ecocardiograma transtorácico evidenciou vegetação em valva mitral (folheto posterior), insuficiência valvares aórtica/tricúspide e mitral moderada. Realizado troca valvar aórtica com prótese biológica. Trata-se de um caso de EI em um paciente sem fatores de riscos importantes e hemoculturas negativas, tornando o diagnóstico desafiador.

Conclusões/Considerações finais

Ademais, a presença de vegetação valvar associado aos fenômenos imunológicos/vasculares e outros comemorativos determinaram o diagnóstico. Fica claro que a alta suspeição clínica e os métodos de imagens mantêm-se essenciais na precocidade diagnóstica da EI.

Palavras-chave

Endocardite infecciosa; Diagnóstico por Imagem; Ecocardiografia.

Área

Medicina Intensiva

Instituições

Faculdade de Medicina de Olinda-FMO - Pernambuco - Brasil, Faculdade Pernambucana de Saúde- FPS - Pernambuco - Brasil

Autores

LAYS SANTANA FREITAS, Julia Siqueira Fernandes Silveira, Dener Geruso Costa Mascarenhas, Michelle Pereira de Faria e Silva, Laís Azevedo de Brito Jaques, Eduardo Figueiredo de Alencar