Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ACOMETIDOS POR MENINGITE EM JOAO PESSOA-PB: UM ESTUDO DOCUMENTAL

Fundamentação/Introdução

Introdução: A meningite (Me) é doença multifatorial causada por agentes infecciosos ou não que levam à inflamação das meninges.

Objetivos

Objetivo: Caracterizar o perfil clínico-epidemiológico de indivíduos acometidos por Me em João Pessoa-PB entre 2009 e 2019.

Delineamento e Métodos

Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo, documental, quantitativo, com dados oriundos do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DATASUS). Observou-se as variáveis ano, gênero, faixa etária, etnia, escolaridade, desfecho clínico, etiologia e critério diagnóstico. Calculou-se a frequência absoluta, relativa e taxa de letalidade.

Resultados

Resultados: De 2009 a 2019 houve 297 casos de Me em João Pessoa-PB, aglutinados em 2011 (29%), seguido de 2009 (17,2%), 2012 (14,8%), 2010 (9,4%), 2014 (6,4%), 2013, 2015 e 2017 (todos com 4,7%), 2016 (3,7%), 2018 (3%) e 2019 (2,4%). Foram mais acometidos homens (60,6%), <5 anos (27,9%), seguido de 5 a 9 anos (21,2%), 20 a 39 anos (20,9%), 10 a 14 anos (11,4%), 15 a 19 anos (8,8%), 40 a 59 anos (8,4%) e 60 a 69 anos (1,4%). Predominou a baixa escolaridade (25,3%), seguido de média (7,4%), alta (3,4%) e sem escolaridade (1%). Em 39,7% esse dado era inaplicável e 23,2% ignorado. A Me concentrou-se na zona urbana (97,6%), seguida pela rural (0,7%). 1,7% teve esse dado foi ignorado. A etnia parda foi a mais comum (44,4%), seguida da branca (31,3%) e negra (4,1%), dado ignorado em 20,2% dos casos. O critério de diagnóstico mais utilizado foi o quimiocitológico (54,5%), clínico (23,6%), cultura (9,8%), bacterioscopia (6,7%), clínico-epidemiológico (1%), Reação em cadeia da polimerase viral (0,3%) e outras técnicas e dado em branco (4,1%). A Me bacteriana foi a mais comum (39,1%), seguida de não especificada, (20,2%), viral (15,2%), meningococcemia (7,7%), meningocóccica (3,4%), Me meningocóccica com meningococcemia e Me por outra etiologia, ambas com 4,4%, Me por pneumococos (4,0%), Me tuberculosa (1%) e Me por Haemophilus (0,6%). 87,5% receberam alta, 9,4% faleceram por Me, 1,7% por outra causa e 1,4% o dado foi ignorado. A taxa de letalidade por etiologia foi sobretudo observada na Me bacteriana (15,0%), seguida da não especificada (12,1%), meningocóccica (10%), meningococcemia (8,7%), Me por outra etiologia (8,3%) e por pneumococos (7,7%).

Conclusões/Considerações finais

Conclusão: O perfil de acometidos foi mormente homens, <5 anos, baixa escolaridade, pardos e oriundos da zona urbana,com diagnóstico quimiocitológico, meningite bacteriana e com cura como desfecho clínico.

Palavras-chave

Doença infectocontagiosas; Meningite; Epidemiologia.

Área

Infectologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

JOAO MARCAL MEDEIROS DE SOUSA, Januse Míllia Dantas de Araújo, Alison Pontes da Silva, Gustavo Fernandes Queiroga Moraes, Wagner Bernardo da Silva, Francisco Patricio de Andrade Júnior