Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DEFICIENCIA DE VITAMINA B12 MASCARADA POR MICROCITOSE: UM RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Introdução: A dosagem de vitamina B12 é geralmente avaliada em pacientes com anemia macrocítica. No entanto, é importante lembrar que sua deficiência pode não ser inicialmente reconhecida devido à outras condições associadas, como talassemia ou anemia ferropriva, que podem mascará-la pelo achado de microcitose.

Objetivos

Objetivo: Relatar o caso de um paciente com microcitose refratária à reposição de ferro em que se evidenciou deficiência de vitamina B12.

Delineamento e Métodos

Relato de Caso: Paciente do sexo masculino, 56 anos, hipertenso e etilista, com história de perda de 18 kg em dois meses associado à astenia, anorexia e dispneia aos esforços. Vinha em uso de sulfato ferroso há 09 anos.

Ao exame físico apresentava-se pálido, anictérico, taquicárdico e taquipneico. Exame neurológico com força, sensibilidade e propriocepção preservados.

Exames laboratoriais da admissão evidenciaram anemia microcítica (hemoglobina=3,5 g/dl e volume corpuscular médio= 76)e anisocitose eritrocitária com predomínio de micrócitos, pecilocitose (eliptócitos, hemácias em lágrima, esquizócitos), além de hemácias em alvo. Ferro sérico= 75 (VR:25-156), Ferritina= 515 (VR:21-275). DHL= 4047 (VR:125-220) e Coombs direto negativo. Apesar de se tratar de anemia microcítica, pela refratariedade à reposição de ferro, realizou dosagem de vitamina B12, que mostrou-se baixa (<83, VR:187-883). O anticorpo anti fator intrínseco foi negativo e o anticorpo anti célula parietal positivo. Endoscopia digestiva alta, colonoscopia e enterotomografia sem lesões que pudessem justificar ferropenia ou deficiência vitamínica.

Resultados

Por se tratar de anemia sintomática, optou-se por transfusão de hemácias e em seguida reposição de vitamina B12 parenteral. Houve melhora clínica importante, queda marcante dos marcadores de hemólise e progressiva melhora dos níveis de hemoglobina (Hb=9,8 g/dl após um mês).
Apesar da excelente resposta, chamava atenção a marcante microcitose, mesmo com estoques de ferro normais. A eletroforese de hemoglobina em pH alcalino mostrou hemoglobinopatia AS (traço falciforme). Porém, os achados de microcitose e as alterações no esfregaço de sangue periférico, poderiam ser explicados por uma alfa-talassemia associada, diagnosticada por eletroforese em meio ácido.

Conclusões/Considerações finais

Conclusão: Anemias microcíticas refratárias a reposição de ferro devem levantar outros diagnósticos diferenciais. A talassemia é mais comumente lembrada, por cursar com VCM baixo, mas uma deficiência de B12 também pode estar sendo mascarada.

Palavras-chave

Palavras-chave: anemia; anemia megaloblástica; anemia refratária

Área

Hematologia

Instituições

Hospital Universitário Oswaldo Cruz - Pernambuco - Brasil

Autores

ERICA LIMA SANTOS, Moara Maria Silva Cardozo, Daniel Moreira Almeida, Júlia Maria Fernandes Vasconcellos