Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MIOCARDITE EM PACIENTE PORTADOR DE DOENÇA DE STILL E INFECÇAO POR CITOMEGALOVIRUS ASSOCIADAS: UM RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A doença de Still do Adulto (DSA) é um raro distúrbio inflamatório sistêmico caracterizada pela tríade febre, erupção cutânea e artralgia, e de etiologia desconhecida. Contudo, acredita-se que há uma importante relação da doença com fatores imunológicos e infecciosos, dentre eles vírus, incluindo o citomegalovírus (CMV).
Em pacientes com a doença crônica, raramente pode haver acometimento do sistema cardíaco por meio de uma miocardite, a qual pode causar arritmia, insuficiência cardíaca e tamponamento cardíaco. O tratamento da doença compreende o uso de anti-inflamatórios não esteroidais, corticosteróides e outros imunossupressores ou imunomoduladores.
O CMV é um herpesvírus que em pessoas imunocompetentes causa mononucleose infecciosa, raramente evidente. Já em pacientes com imunodeficiência primária ou adquirida, principalmente com depressão de células T, a reativação do CMV está associada a acometimento de vários órgãos e sistemas, como pulmão, fígado, rim, trato gastrointestinal, sistema nervoso central e coração.

Objetivos

Apresentar a associação entre a Doença de Still do Adulto e a infecção pelo CMV como causa e agravamento de miocardite em um paciente, de forma a ampliar as bases diagnósticas em casos semelhantes.

Delineamento e Métodos

Estudo observacional, de caráter descritivo e transversal.

Resultados

Paciente do sexo masculino, 36 anos, diagnosticado previamente com Doença de Still do Adulto, internado na Unidade de Terapia Intensiva com insuficiência cardíaca grave em decorrência de uma miocardite, evoluindo com choque cardiogênico, apresentando fração de ejeção do ventrículo esquerdo reduzida a 23%. Após administração de imunossupressores para o tratamento para a Doença de Still, teve melhora do quadro, mas ainda apresentava plaquetopenia de 25.000 µL e anemia persistente, com hemoglobina de 5,6 g/dL. Além disso, também apresentava valores das enzimas AST e ALT elevados (560 e 580 U/L, respectivamente), sugerindo dano hepático. Em razão da imunossupressão do paciente, foram pedidos exames laboratoriais para rastreamento de infecção viral, sendo positivo por PCR para CMV. O paciente foi, então, tratado com ganciclovir intravenoso, com pronta resposta sistêmica e hematológica.

Conclusões/Considerações finais

Na literatura, há raras descrições relacionando a infecção pelo CMV a quadros graves de miocardite. Este relato ressalta a importância de uma busca ativa por agravantes em casos semelhantes ao apresentado, possibilitando um tratamento correto, efetivo e rápido e, assim, um melhor prognóstico ao paciente.

Palavras-chave

Citomegalovirus; Doença de Still de Início Tardio; Miocardite.

Área

Reumatologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

GABRIELA DE ALCANTARA FONSECA, Patrícia Oliveira Lima Macedo, Lisley Medeiros Garcia, Daniel Freire Medeiros, Eutília Andrade Medeiros Freire, Giovanna Aquino Pinheiro