Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COMPARATIVO DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE PELE ENTRE OS ANOS DE 2008 E 2018

Fundamentação/Introdução

O câncer de pele corresponde a cerca de 30% dos diagnósticos de câncer no Brasil, sendo o tipo não melanoma o mais comum e menos letal. O tipo melanoma é o menos frequente, mas com pior prognóstico e alta taxa de mortalidade. Este último representa a maior causa de morte entre os tumores malignos primários de pele. Como seu principal fator de risco está a exposição solar exagerada e de pior prognóstico as características individuais do tumor e a extensão da doença. Minas Gerais (MG) é um dos estados mais acometidos por essa patologia no Brasil apresentando alto número de óbitos.

Objetivos

Analisar a mortalidade por neoplasia maligna de pele entre o total de óbitos do país, do estado de MG e da cidade de Belo Horizonte (BH), comparando os anos de 2008 e 2018.

Delineamento e Métodos

Estudo descritivo, transversal, retrospectivo. Os dados são relacionados à mortalidade por neoplasia de pele maligna, nos anos de 2008 e 2018, nas faixas etárias de 0 à acima de 80 anos, na cidade de BH (MG). Foram coletados através do DATASUS e tabelados a partir do sistema Microsoft Excel 2010.

Resultados

A faixa etária com maior número de óbitos por melanoma foi dos 40-49 anos em BH em 2008, e dos 50-59 anos em 2018. No estado de MG, a maior incidência de 2008 também foi em indivíduos com 40-49 anos; porém, em 2018, esta foi em 80 anos ou mais. No Brasil, em 2008, a incidência esteve na faixa dos 70-79 anos, e em 2018 a faixa mais acometida foi a de 80 anos ou mais. Houve aumento de 50% no número de óbitos totais por neoplasia maligna de pele, incluindo melanoma, na cidade de BH, semelhante à tendência Estadual (aumento de 52%) e ultrapassando a média nacional (aumento de 36,61%). A cidade de BH apresentou um aumento de 200% de óbitos por CA de pele na faixa etária de 50-59 anos, muito acima do aumento estadual, o qual foi de 80%. Na população feminina, BH apresentou um aumento de 160% de óbitos nos últimos 10 anos, enquanto o aumento nacional foi de 35%.

Conclusões/Considerações finais

Ao comparar os anos de 2008 e 2018, percebeu-se um aumento nos óbitos de neoplasia de pele, sendo a faixa etária com maior mortalidade a de 80 anos ou mais. Na cidade de BH houve aumento de 13,39% quando comparado com o aumento de mortalidade nacional - este aumento ainda mais significativo em mulheres (125% a mais). Destaca-se a importância dos programas de educação e prevenção em saúde referentes à exposição solar e a detecção precoce de lesões de pele, necessitando intensificar as políticas de saúde pública.

Palavras-chave

Melanoma, câncer, oncologia, Minas Gerais

Área

Oncologia

Instituições

Universidade federal de pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

GUILHERME CECHINATO ZANOTTO, juliana cechianato zanotto