Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PÊNFIGO VULGAR: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Pênfigo vulgar (PV) é doença bolhosa intraepidérmica que afeta pele e mucosas. A bolha no PV é resultado da perda da coesão dos queratinócitos (acantólise). As lesões primárias do PV são bolhas flácidas que surgem em pele normal ou eritematosa. As bolhas são frágeis e rompem-se rapidamente, formando erosões dolorosas, que sangram com facilidade, e recobertas por crostas hemáticas.

Objetivos

Este trabalho tem como objetivo relatar o diagnóstico de Pênfigo Vulgar, uma doença rara.

Delineamento e Métodos


Paciente JFRS, sexo feminino, 19 anos, solteira, com lesões vesicobolhosas generalizadas há 2 meses. Iniciou-se com uma bolha em região torácica e, a partir desta lesão, outras bolhas surgiram por toda extensão corporal, pruriginosas, dolorosas, base eritematosa, com calor local, de fácil rompimento. Associado com edema perimaleolar em membros inferiores, há 15 dias, bem como edema em face, há 3 dias, e presença de febre. Ao exame físico apresenta bom estado geral, vigil e orientada. Cavidade oral com macroglossia e manchas hiperemiadas em mucosa jugal. Pele com lesões vesicobolhosas generalizadas, crostas, placas hipercrômicas, ulcerativas e de base eritematosa sugestivas de infecção secundária, sinal de Nikolsky positivo.

Resultados

Membros inferiores e face edemaciada, sinal de cacifo positivo. Sendo as principais hipóteses Stevens Johnson com infecção secundária ou Pênfigo Vulgar com infecção secundária. Internada no serviço para manejo devido risco de complicações. Iniciado Ceftriaxona, Oxacilina e Ivermectina. Solicitado parecer da dermatologia que indicou inicialmente o uso de Prednisona 40 mg/dia. Solicitado biópsia de pele confirmatória para pênfigo vulgar. Após 26 dias de uso do esquema ainda havia o surgimento de bolhas, logo foi trocado por Vancomicina, por 12 dias, e aumentada gradativamente a dose da Prednisona até 100 mg/dia, com melhora do quadro clínico e remissão bolhosa. O corticóide foi gradativamente diminuído até 60 mg/dia e a paciente recebeu alta hospitalar após 41 dias de internação.

Conclusões/Considerações finais

O resultado da biópsia,positivo para Pênfigo Vulgar, e a identificação do aspecto das lesões e da velocidade de propagação dos sintomas foi fundamental no descarte de Síndrome de Steven Johnson e no tratamento efetivo da enfermidade, que teve o uso de corticóide como o diferencial na melhora do quadro do paciente. Ademais, as lesões causadas pelo PV são uma emergência clínica que devem ser tratadas com celeridade devido ao potencial de complicações secundárias.

Palavras-chave

Pênfigo vulgar, lesões de pele, lesões bolhosas, vesicobolhosas.

Área

Clínica Médica Geral

Instituições

Universidade Potiguar - Rio Grande do Norte - Brasil

Autores

ANDREZZA MARIA ALVES BEZERRA, Jéssica Santana Baía, Abnaías Feitosa De Medeiros, Camila Avelino Bezerra Silva, Georgia Brito De Souza, Renee Castro Araújo