Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CÁPSULA ENDOSCÓPICA E SUA INOVAÇÃO NO DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS INTESTINAIS OCULTAS

Fundamentação/Introdução

A hemorragia gastrointestinal de origem oculta é uma forma rara, que,
inicialmente, não apresenta causas detectáveis, mesmo após ser realizado métodos
diagnósticos como: endoscopia e colonoscopia. A cápsula endoscópica (CE), primeira linha na
pesquisa de patologias do intestino delgado, aprovado desde 2001 e introduzida no Brasil em
2003, permitiu capturar sangramentos oriundos de partes do intestino que não são acessíveis,
devido a sua anatomia, pelos métodos tradicionais. Por meio desta, foi possível identificar
algumas patologias como: enterorragias, doença de Crohn, doença celíaca, síndromes
poliposas hereditárias e tumores do intestino delgado.

Objetivos

Apresentar uma nova forma de diagnóstico através da cápsula endoscópica, e seus
principais benefícios nas doenças intestinais, principalmente nas formas ocultas.

Delineamento e Métodos

Foi realizada uma revisão sistemática utilizando as bases dados virtuais como
PubMed, MEDLINE, Scielo e Biblioteca Virtual em Saúde, por meio de uma abordagem
qualitativa.

Resultados

Até então, métodos de imagem como a tomografia computadorizada com
angiografia, a enteroscopia “push”, o estudo radiológico contrastado do delgado, e outros
métodos eram empregados na investigação de patologias não detectadas por endoscopia
digestiva alta e colonoscopia. Com o surgimento da CE, estudos comparativos foram
efetuados, mostrando uma superioridade desta a cada um desses métodos, com uma acurácia
de 71% contra 41% dos demais, segundo a FDA. Diante dos estudos analisados, a vídeo-cápsula
exibe diversas vantagens, dentre elas, o fato de ser um exame não invasivo, com extensa
capacidade exploratória no trato gastrointestinal e, apesar de ser um procedimento
relativamente novo, possui poucas limitações, relativas à preparação e manuseio. Além disso,
há um baixo risco de complicações e a possibilidade de ser utilizado como intervenção,
principalmente nas enterorragias.

Conclusões/Considerações finais

Estima-se que em 2010, mais de 2 milhões e 500 mil procedimentos
com CE já haviam sido efetuados por todo mundo. Esse método, minimamente invasivo e bem
tolerado, vem sendo incorporado à prática clínica para facilitar o diagnóstico de patologias
obscuras no TGI e propor uma nova modalidade de intervenção. No panorama atual, em que
as tecnologias estão cada vez mais disponíveis, a CE já é uma realidade para serviços de
referência, e a tendência é que o exame seja incorporado plena e efetivamente nos sistemas
de saúde brasileiro.

Palavras-chave

Cápsula, Diagnóstico, gastrointestinal

Área

Gastroenterologia

Instituições

Faculdade de Medicina Nova Esperança - Paraíba - Brasil

Autores

JULIANA DE AVILA LINS DA CUNHA LIMA, Julia Dutra Soares, Lilian Torres Soares Pessoa, Maria Marina Nóbrega Carvalho, Flaviana Ribeiro Coutinho Mendonça Furtado