Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação entre obesidade infantil e a ocorrência de transtornos psiquiátricos: uma revisão sistemática

Fundamentação/Introdução

Fundamentação/Introdução:
A obesidade infantil é dotada de estigmas e estereótipos que culminam em sofrimento psicossocial, gerando estresse desregulado, precursor de diversos transtornos mentais. Por outro lado, jovens ansiosos e depressivos têm mais risco de desenvolver padrões compulsivos de alimentação, visto que o ato de comer pode ser uma resposta aos estímulos negativos. Além disso, o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) também é fator de risco para aumento não saudável do peso.

Objetivos

Objetivos:
Evidenciar a associação entre obesidade e transtornos psiquiátricos em crianças e adolescentes.

Delineamento e Métodos

Métodos:
Foi realizada uma revisão de literatura indexada nas bases de dados PubMed/MEDLINE, Scielo e Lilacs pelo uso dos descritores específicos de "Psychiatric Disorders" AND "Childhood Obesity" AND "Bullying". Coletaram-se 16 artigos publicados entre 2009 e fevereiro de 2020, em inglês e português, excluindo 4 deles, divergentes do tema.

Resultados

Resultados:
A maioria dos estudos mostra retroalimentação entre depressão e obesidade: o humor depressivo gera padrões alimentares deturpados, da mesma forma que a obesidade, devido a fatores sociais (intimidação, bullying, vitimização), pode findar em transtorno de humor dessa natureza. A internalização de experiências negativas é o principal fator para o agravo de depressão e ansiedade, especialmente o último, dado que o nervosismo e a baixa tolerância à frustração característicos transformam os alimentos em mecanismos de alívio ou "fuga".
Tratando-se do TDAH, verifica-se que a impulsividade, associada à desregulação do sistema de recompensa dopaminérgico, deriva em alimentação desenfreada, com busca da gratificação imediata. Percebe-se, nestes pacientes, baixa adesão a tratamentos, pois apresentam falta de motivação e desatenção, fatores agravados quando há impacto emocional e estressores ambientais e que intensificam comportamentos danosos.
Alguns dos artigos destacam distinção de gênero no padrão de distúrbios mentais envolvendo obesidade e bullying. No sexo feminino, já a partir dos 5 anos, há maior propensão à insatisfação com o próprio corpo, principalmente o sobrepeso, e a evoluir para transtornos psiquiátricos.

Conclusões/Considerações finais

Conclusões/Considerações finais:
É fundamental o acompanhamento profissional do sofrimento emocional dos jovens com sobrepeso e obesos, uma vez que há risco de desenvolver ou exacerbar comorbidades: ansiedade, humor depressivo, ideação suicida e abuso de substâncias.

Palavras-chave

Obesidade Pediátrica; Psiquiatria do Adolescente; Psiquiatria Infantil; Bullying; Transtornos do Humor

Área

Psiquiatria

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

MARIA FERNANDA BATISTA DE BRITTO LYRA, RICARDO ANDRE MEDEIROS NEGREIROS, ESTÁCIO AMARO DA SILVA JÚNIOR, Jacicarlos Lima de Alencar