Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PSORÍASE DE DIFÍCIL CONTROLE ASSOCIADO À DEPRESSÃO COM BOA RESPOSTA AO SECUQUINUMABE

Fundamentação/Introdução

A psoríase é uma dermatose inflamatória crônica, imunomediada, eritematodescamativa. Nesse cenário, relata-se o estresse emocional como desencadeante e fator de piora das lesões, gerando estigma e perda da qualidade de vida (QV), retroalimentando um sistema de sofrimento e mais estresse, findando em quadros de depressão e ansiedade. Desse modo considerar a indicação de imunobiológicos, a citar, em casos recalcitrantes, frequente fracasso à terapia sistêmica e quadro graves de deterioração da QV e/ou incapacidade física ou psicossocial, pois o tratamento adequado tem mostrado, para além da doença em si, ganhos na QV do doente.

Objetivos

Apresentar um caso de psoríase de difícil controle, irresponsiva a seis drogas, associado à depressão, com excelente resposta ao uso do secuquinumabe (SCQN, anti-interleucina-17A), com melhora expressiva na QV da doente.

Delineamento e Métodos

Paciente feminino, 33 anos, do lar, Fitzpatrick IV. Possui lesões de psoríase com prurido intenso há 13 anos que começaram nos cotovelos, depois para outras áreas do corpo, foi quando buscou auxílio de um dermatologista e foi diagnosticada. As lesões eram de tamanhos variados, algumas em grandes placas; BSA (Body surface area/Área de superfície corpórea) 42%; PASI (Psoriasis Area and Severity Index/Índice de Gravidade da Psoríase por Área) 17,2; DLQI (Dermatology Life Quality Index/Índice Dermatológico de Qualidade de Vida) 28. Pontuação ≥ 10 no BSA, DLQI ou PASI classificam a psoríase em moderada-grave. Relatava idem tristeza profunda, dificuldade de relacionamento, isolamento e falta de motivação para o trabalho e estudo. Sem queixas articulares. Exames laboratoriais normais. Fez uso de metotrexato, ciclosporina, infliximabe, etanercepte, adalimumabe e ustequinumabe, sem resposta satisfatória.

Resultados

Realizou-se a administração de 300 mg de SCQN nas semanas 0, 1, 2, 3 e 4, seguida por manutenção mensal com excelente resposta clínica já ao fim da dose de indução (após 4 aplicações semanais): redução das lesões, ausência de prurido e DLQI 2.

Conclusões/Considerações finais

A rápida resposta da psoríase ao SCQN possivelmente contribuiu para a melhora do humor e na QV da paciente, refletida na queda expressiva do DLQI. Ademais, ressalta-se a importância do acompanhamento psiquiátrico e tratamento das comorbidades psicológicas nos pacientes portadores de psoríase, sobretudo nas formas moderadas-graves. Paciente em questão permanece em controle adequado fazendo uso do SCQN e acompanhamento psiquiátrico.

Palavras-chave

Psoríase; Depressão; Secuquinumabe

Área

Dermatologia

Instituições

Universidade Federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

AGNES MARIA FERREIRA DE OLIVEIRA, João Marçal Medeiros de Sousa, Edgar da Silva Fontes, Raquel Jusara Hoffmann, Joanne Elizabeth Ferraz da Costa, Esther Bastos Palitot