Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

HIPERTENSAO PULMONAR DECORRENTE DE HIPERTIREOIDISMO: UM RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A hipertensão pulmonar (HP) é um estado fisiopatológico e hemodinâmico relacionada a diversas etiologias. Seu quadro clínico é inespecífico e envolve, principalmente, dispneia e fadiga, podendo evoluir para insuficiência cardíaca direita. Aceita-se como triagem o uso do ecocardiograma transtorácico (ECOTT), podendo, a partir da estimativa da pressão sistólica da artéria pulmonar (PSAP) baseada na velocidade do fluxo regurgitante da valva tricúspide, avaliar a probabilidade de HP. O diagnóstico de HP é confirmado com o cateterismo (CATE) de câmaras direitas, quando a pressão arterial pulmonar média (PMAP) encontra-se ≥ 20 mmHg. Define-se como hipertensão arterial pulmonar se, associadamente, a resistência vascular pulmonar for alta. A HP pode ser dividida em 5 grupos etiológicos, sendo: HAP (1), doenças do coração esquerdo (2), pneumopatia ou hipóxia (3), tromboembolismo pulmonar crônico (4) e por mecanismo multifatorial ou desconhecido (5). O hipertireoidismo enquadrava-se no grupo 5, porém propõe-se retirar da classificação até melhor esclarecimento da relação dos distúrbios da tireoide com a hipertensão pulmonar. Até o momento, poucos estudos relatam prevalência de HP em pacientes portadores desta doença, sendo desconhecida real relação das mesmas.

Objetivos

Relatar caso de paciente com HP secundária ao hipertireoidismo com boa resposta após tratamento específico.

Delineamento e Métodos

Homem de 62 anos, hipertenso, evoluindo com quadro de edema progressivo e dispneia aos moderados esforços no período de 8 meses. Submetido a ECOTT sendo observado PSAP elevada (63 mmHg) sem disfunção de câmaras esquerdas. Admitido no nosso serviço para estratificação e definição etiológica. CATE confirmou HP com alto débito cardíaco. Sorologias e provas de autoimunidade negativas, USG de abdome sem sinais de fibrose periportal, assim como cintilografia pulmonar negativa para TEP e tomografia de tórax sem alteração de parênquima.

Resultados

Teste de caminha de 6 minutos (TC6M) aquém do esperado (237m). Função tireoidiana compatível com doença de Graves (T4 livre elevado, TSH suprimido e anti-TRAb positivo). Iniciado propiltiouracil 300mg/d com melhora clínica significativa após dois meses de tratamento, havendo melhora em dispneia e ganho de 10kg. Realizado novo ECOTT que evidenciou PSAP de 40 mmHg, associado a TC6M de 330m. Ademais, T4 livre passou de 7,57 para 1,54. Submetido, neste contexto, à iodoterapia. Recebeu alta para seguimento ambulatorial.

Conclusões/Considerações finais

Deve-se considerar hipertireoidismo como causa reversível de HP.

Palavras-chave

Hipertensão pulmonar; Hipertireoidismo.

Área

Pneumologia

Instituições

Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira - Pernambuco - Brasil

Autores

CAMILA HANAE FILGUEIRA SAITO, José Ricardo Bandeira de Oliveira Filho, Ana Carolina Souza dos Santos, Marília Cristina de Oliveira Gonzaga, Maria Fernanda Maia de Freitas