Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CARACTERÍSTICAS EPIDEMIOLÓGICAS E ANATOMOPATOLÓGICAS DAS GLOMERULOPATIAS EM PACIENTES SUBMETIDOS À BIÓPSIA RENAL

Fundamentação/Introdução

Introdução: A biópsia renal constitui o padrão-ouro para o diagnóstico, prognóstico e tratamento das doenças glomerulares. Trata-se de um método seguro e com baixa incidência de complicações graves.

Objetivos

Objetivos: Conhecer a incidência de complicações pós biópsia e as características epidemiológicas e anatomopatológicas das doenças glomerulares nos pacientes submetidos à biópsia renal no Hospital Universitário Pedro Ernesto vinculado a Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Delineamento e Métodos

Métodos: Estudo retrospectivo, onde foram avaliadas biópsias realizadas no período de março de 2017 a fevereiro de 2018 e analisadas as seguintes variáveis: idade; gênero; indicação para realização de biópsia renal, diagnóstico histológico e complicações do procedimento.

Resultados

Resultados: Durante o período foram realizadas 85 biópsias. Dentre essas, 62,3% foram realizadas em pacientes do sexo feminino. A idade média dos pacientes foi de 38 +/- 12,1 anos. A principal indicação de biópsia renal foi a síndrome nefrótica em 37,9% dos casos. Lesões glomerulares primárias foram observadas em 60,8%. Dentre os diagnósticos histológicos destacou-se a glomeruloesclerose segmentar e focal (GESF) com 28,2%. A glomerulopatia membranosa foi observada em 21,1% dos pacientes, seguida da nefrite lúpica com 18,8%, dos quais 70.5% na faixa etária entre 15 e 30 anos, 100% do sexo feminino e com predomínio da Classe IV (59%). A nefropatia por IgA foi observada em 8,2% dos pacientes e a GN membranoproliferativa em 2,3%. Aproximadamente 5,9% dos pacientes submetidos a biópsia apresentaram complicações: 5,9% hematúria macroscópica, dos quais 3,5% apresentaram hematoma subcapsular. Destes, 2,3% necessitou de hemotransfusão. Não houve ocorrência de óbito ou necessidade de nefrectomia/radiointervenção.

Conclusões/Considerações finais

Conclusão: O presente estudo fornece informações da frequência de glomerulopatias diagnosticadas a partir de biópsia renal num centro de referência do Estado do Rio de Janeiro. Nessa casuística, houve um predomínio do sexo feminino, destacando-se a síndrome nefrótica como a indicação predominante. Dentre os diagnósticos histológicos evidenciados, destaca-se a GESF, seguida da glomerulopatia membranosa e da nefrite lúpica, dentro da qual predominou a Classe IV. A incidência de complicações foi baixa. Não houveram complicações graves ou morte.

Palavras-chave

Biópsia renal; Glomerulopatia; Epidemiologia

Área

Nefrologia

Instituições

UFPB - Paraíba - Brasil

Autores

THIAGO NABIL HANNA, Gabriela De Araújo Miranda, João Marçal Medeiros De Sousa, Renata Karine Pedrosa Ferreira, Juliana Gomes Nattrodt Barros, Pablo Rodrigues Costa Alves