Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MAL DE POTT EM PACIENTE JOVEM – RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Introdução: O Mal de Pott (MP) é uma manifestação extrapulmonar da tuberculose (TB), na qual o envolve a coluna vertebral, corresponde a cerca de 0,5% - 1% dos casos de TB, a maioria das formas extrapulmonares são de instalação insidiosa e evolução lenta. O quadro clinico é apresentado por gibosidade, abscesso e paraplegia, sendo a dor crônica nas costas sugestiva. O exame padrão-ouro do diagnóstico é a Ressonância Nuclear Magnética (RNM) com biopsia guiada por Tomografia Computadorizada (TC), seguida de cultura das amostras.

Objetivos

Objetivo: Relatar um caso de MP, enfatizando a importância do diagnóstico precoce para evitar os desfechos clínicos.

Delineamento e Métodos

Relato de caso: V.R.S., 19 anos, feminina, hipertensa, portadora de doença renal crônica submetida a hemodiálise, com história de lombalgia crônica e miastenia em membros inferiores, há 6 meses. Durante os últimos 4 meses teve febre diária, perda ponderal de 5kg, queda do estado geral e anorexia. Foi admitida no serviço médico hospitalar, com queixa de dor em região lombar de intensidade 8/10, com dificuldade de flexão e estado geral regular sendo então internada na UTI, persistindo o quadro, com suspeita de infecção do catéter de hemodiálise, sendo iniciado Meropenem e Daptomicina por 21 dias. Observou-se melhora do estado geral, porém persistência da febre e PCR aumentado. Foi solicitada a RNM de coluna lombossacral que evidenciou espondilodiscite e estreitamento discreto do espaço discal entre as vertebras T11, T12 e L1, gerando retificação da lordose lombar.

Resultados

Submetida à biópsia de coluna torácica, guiada por TC, com cultura de aspirado positiva para Mycobacterium tuberculosis. Realizou-se o tratamento para tuberculose: Rifampicina, Isoniazida, Pirazinamida e Etambutol, por 2 meses obtendo-se melhora clínica, permanecendo afebril e a PCR em queda. Em seguida, deu continuidade com Rifampicina e Isoniazida por mais 9 meses. Hoje, a paciente não apresenta mais queixas dando continuidade ao acompanhamento multiprofissional, incluindo fisioterapia com melhora na correção da retificação da coluna toracolombar.

Conclusões/Considerações finais

Conclusão: Atualmente, o MP é considerado uma doença negligenciada e muitas vezes abordada tardiamente, o seu subdiagnóstico pode inferir na ocorrência de sequelas irreversíveis. Com isso promover um diagnóstico precoce com a terapêutica reduz-se o risco de sequelas e melhora a qualidade de vida do paciente.

Palavras-chave

Palavras-chave: Mal de Pott; Tuberculose; Coluna vertebral;

Área

Infectologia

Instituições

Faculdade de Medicina Nova Esperança - Paraíba - Brasil

Autores

ANA LUIZA SOUZA MATOS, Amanda Laysla Rodrigues Ramalho, Brenda Helen Albuquerque de Araújo, Luana Ferreira Leite Araújo, Maria Carolina Trigueiro Lucena Cavalcante, Miriam Campos Soares de Carvalho