Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CARACTERIZAÇAO DO SURTO DE MALARIA NO MUNICIPIO DO CONDE-PB EM 2019

Fundamentação/Introdução

A malária é doença infecciosa febril aguda causada pelo protozoário do gênero Plasmodium e transmitida ao homem através da picada do mosquito fêmea do gênero Anopheles. No Brasil, é endêmica na Região Amazônica, apresentando grande morbimortalidade. Em 2019, houve aumento de casos em regiões extra-amazônicas, como no município do Conde, localizado no litoral da Paraíba.

Objetivos

Identificar o perfil epidemiológico da malária no Conde (PB) no ano de 2019 e caracterizar a distribuição territorial e mensal da malária e correlacionar os casos aos atributos pessoais dos acometidos.

Delineamento e Métodos

Estudo transversal, descritivo e retrospectivo, realizado de março a outubro de 2019. A amostra incluiu 20 pacientes com diagnóstico de malária no Conde, os quais os dados foram coletados dos registros de Boletins de Emergência e Prontuários no Serviço da Unidade DIP e das fichas de investigação do Núcleo de Vigilância Epidemiológica de um hospital universitário. A análise dos dados foi feita mediante estatística descritiva.

Resultados

Dos 20 casos, todos apresentaram exames de gota espessa positivos, sendo 70% 2 cruzes, 15% 3 cruzes e 15% meia a 1 cruz. Houve predomínio de casos em mulheres, sendo mais acometidas as donas de casa. Entre as mulheres, a idade de maior incidência foi de 20-29 anos e entre os homens, 50-59 anos. A idade produtiva de ambos os sexos (20-59 anos) representou 85% dos casos. O tempo médio de início dos sintomas até o diagnóstico foi de 8 dias, variando de 2 a 19 dias. O tempo médio de internação foi de 7-11 dias, correspondendo a 70% dos pacientes. Nos meses de março e agosto observou-se uma curva ascendente de diagnóstico, com 6 novos pacientes em cada mês. Nenhum dos pacientes tinha histórico de viagens a áreas endêmicas de malária e todos residiam em área receptiva e com vulnerabilidade devido ao intenso fluxo de turista.

Conclusões/Considerações finais

A maior incidência de malária no Conde foi composta por mulheres em idade produtiva e com ocupação domiciliar. Os prolongados tempos de definição de diagnóstico e de internação indicam uma dificuldade na elucidação do diagnóstico e no acesso a serviço de saúde. O pico de crescimento em março e agosto indica relação com as ações de controle ambiental (vetores), busca ativa de casos e ações educativas. Dessa forma, são recomendadas medidas de combate ao vetor através de inseticidas, repelentes e mosquiteiros, além de saneamento básico e capacitação das equipes de saúde para impedir a progressão desta doença.

Palavras-chave

Malária. Surto. Epidemiologia.

Área

Infectologia

Instituições

Universidade federal da Paraíba - Paraíba - Brasil

Autores

RAISSA MEDEIROS PALMEIRA DE ARAUJO, Eleandro de Angeli , Clarrisa Barros Madruga, Clodoaldo da Silveira Costa, Ricia Medeiros Palmeira de Araújo, Ana Isabel Vieira Fernandes