Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES COM OSTEOARTITE PRIMÁRIA DE JOELHO E QUADRIL ATENDIDOS EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Fundamentação/Introdução

A osteoartite (OA) é considerada uma enfermidade multifatorial, regida por um estado pró-inflamatório crônico, obesidade, diabetes e síndrome metabólica (SM). Esses fenômenos também estão abrangidos na gênese dos eventos cardiovasculares, acarretando em diminuição da capacidade funcional e qualidade de vida dos indivíduos acometidos.

Objetivos

Analisar as características epidemiológicas de pacientes com OA primária de joelhos e/ou quadril e mensurar o risco cardiovascular (RCV) da amostra através do Escore de Framingham (EF).

Delineamento e Métodos

Estudo observacional, descritivo e transversal, realizado entre agosto de 2018 e maio de 2019. A amostra incluiu 60 pacientes atendidos no ambulatório de Reumatologia de um Hospital Universitário, com idade entre 30 e 74 anos, portadores de OA de joelho e/ou quadril, pelos critérios do Colégio Americano de Reumatologia. Foram utilizados questionários sociodemográfico e clínico e os dados necessários para o cálculo do EF. A análise dos dados foi feita mediante estatística descritiva, em que foram obtidos medidas de tendência central – média e mediana - e de dispersão - desvio padrão.

Resultados

Dos 60 pacientes, 57 eram mulheres (95%) e 3 eram homens (5%). A média de idade foi de 62,57 anos. As comorbidades mais associadas à OA foram: hipertensão arterial sistêmica (73,3%), osteoporose (53,3%), dislipidemia (48,3%), obesidade (48,3%), diabetes mellitus (35%) e depressão (26,6%). A estratificação do RCV segundo o EF demonstrou que 26,6% dos pacientes tinham baixo risco cardiovascular, 38,33% moderado risco e 35% com alto risco. O valor médio de IMC foi de 29,59. A síndrome metabólica teve seu diagnóstico firmado em 51,6% dos pacientes. Quanto ao uso de anti-inflamatórios não esteroidais (AINES), 53,3% dos pacientes referiram uso frequente da medicação.

Conclusões/Considerações finais

O presente estudo demonstrou que o grupo composto por pacientes com OA primária de joelho e/ou quadril possui RCV elevado, com alta incidência de hipertensão, DM, obesidade e Síndrome Metabólica. No que diz respeito à morbidade cardiovascular, outro fator que pode estar relacionados ao surgimento de eventos cardiovasculares na população estudada é o uso crônico de anti-inflamatórios não esteroidais (AINES). Desse modo, pode-se entender que diversas condições clínicas que estão associadas à osteoartrite primária influenciam diretamente o RCV. Entretanto, a atuação desses fatores varia de acordo com as individualidades de cada paciente.

Palavras-chave

Osteoartrite. Comorbidades. Risco Cardiovascular

Área

Reumatologia

Instituições

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA - Paraíba - Brasil

Autores

RAISSA MEDEIROS PALMEIRA DE ARAUJO, YAGO ABRANTES CAVALCANTE, OTÁVIO JOSÉ ROLIM NETO, RÍCIA MEDEIROS PALMEIRA ARAUJO