Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

POLICITEMIA SECUNDÁRIA A HIPOXEMIA EM PACIENTE COM SÍNDROME DE DOWN QUE APRESENTA CARDIOPATIA CONGÊNITA: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A Síndrome de Down é uma alteração genética causada pela trissomia do cromossomo 21. Seus portadores apresentam várias características físicas comuns e incidência aumentada de diversas malformações congênitas, tendo a cardiopatia, conceituada como alterações na estrutura ou na função do coração, como a mais prevalente. Dessa forma, um diagnóstico precoce, sobretudo no pré-natal, poderá direcionar a atuação médica visando a um prognóstico mais favorável.

Objetivos

Relatar caso de Policitemia secundária à hipoxemia de repetição em paciente com Síndrome de Down que apresenta cardiopatia congênita acompanhado em ambulatório de hematologia no interior do Nordeste.

Delineamento e Métodos

Dados coletados no prontuário, sendo descritos os exames realizados e estado geral de saúde da paciente no período em que a mesma foi acompanhada.

Resultados

Paciente masculino, 22 anos, portador de Síndrome de Down, Cardiopatia congênita, Hipotireoidismo e Hipertensão pulmonar crônica de grau importante é acompanhado em ambulatório de hematologia por Policitemia secundária a hipoxemia. Na sua última consulta em 18/11/2019, seus exames apresentaram: Hb= 21,3g/dl; Ht= 61%; VCM= 98; HCM=33,7; CHCM= 34,5; RDW= 11,9%; leucócitos= 5.120/mm³; linfócitos=41,6%; monócitos= 8,2%; segmentados= 47,3%; eosinófilos= 1,3%; basófilo= 1,6%; plaquetas =112.000/mm; ferritina= 35. À Eletroforese de proteínas: Albumina= 4,55; a1-Globulina= 0,32; a2-globulina= 0,79; B-globulina= 0,5; Beta 2= 0,52; Gama globulina= 1,5. Ao exame físico: FC= 96 bpm; saturação de O2= 96%; PA 100 x 80 mmHg(membro superior direito) e 90 x 70mmHg (membro superior esquerdo), na pele presença de hiperemia em dorso com lesões puntiformes , abdome e MMSS. Tireoide palpável (Lobo esquerdo> lobo direito) de consistência fibroelástica. A conduta adotada desde o início do acompanhamento é o uso regular de sangrias. Faz uso regular de Sildenafila 20mg 8/8 horas, Puran T4 50 mg ao café, Lasix ½ 40 mg 1 x ao dia, Combiron 1 comprimido ao dia. A policitemia, neste caso aparece como um mecanismo de adaptação à hipóxia causada pela hipertensão pulmonar associada ao defeito no septo atrioventricular total e das valvas atriventriculares . Os exames laboratoriais afastam indícios de Policitemia Vera.

Conclusões/Considerações finais

O caso relatado traz à discussão uma situação complexa e evidencia que o acompanhamento regular e uma terapêutica bem executada obtêm resultados satisfatórios na melhoria da qualidade de vida do paciente. Já que, durante anos de acompanhamento o paciente apresenta-se estabilizado.

Palavras-chave

Policitemia; Síndrome de Down, Cardiopatia Congênita.

Área

Hematologia

Instituições

Universidade Estadual de Feira de Santana - Bahia - Brasil

Autores

JHOYCE MICHAELLE DA COSTA OLIVEIRA