Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TUBERCULOSE PULMONAR DE DIFÍCIL DIAGNÓSTICO PÓS-USO DE ADALIMUMABE EM PACIENTE PORTADOR DE ESPONDILITE ANQUILOSANTE: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A espondilite anquilosante (EA) é uma artrite inflamatória crônica do esqueleto axial caracterizada por dorsalgia inflamatória e sacroileíte, frequentemente com positividade para o HLA-B27. O adalimumabe é um inibidor de fator de necrose tumoral (anti-TNF) utilizado para pacientes portadores de EA. A tuberculose pulmonar (TP) é uma doença de alta prevalência no Brasil e o rastreio de portadores da infecção latente por tuberculose (ILT) é realizado antes do uso do anti-TNF. A TP comumente é diagnosticada após análise de fatores clínicos, radiológicos e de pesquisa bacteriológica através de exames como pesquisa de micobactéria no escarro (pBAAR), cultura de micobactérias no escarro (cBAAR) e pesquisa de material genético de micobactérias no escarro (PCR).

Objetivos

Relatar caso de paciente com diagnóstico final de TP após uso de anti-TNF.

Delineamento e Métodos

Homem de 16 anos com diagnóstico de espondilite anquilosante por dorsalgia, sacroileíte e positividade para HLA-B27 com teste tuberculínico negativo, após terceira dose de adalimumabe iniciou queixa de tosse seca e febre. Tomografia computadorizada (TC) de tórax mostrou consolidação em lobo inferior direito (LID), recebendo tazocin e azitromicina com melhora clínica e radiológica parciais. Lavado broncoalveolar (LBA) resultou negativo para pBAAR, cBAAR e PCR para tuberculose. Após três meses, voltou a ter febre e nova TC mostrou aumento da consolidação, realizando nova broncoscopia com LBA que novamente resultou negativo para pBAAR, cBAAR e PCR para TB, assim como no fragmento de biópsia transbrônquica.

Resultados

Feita biópsia transtorácica, obtendo resultados negativos para pesquisas de tuberculose e histopatológico evidenciou inflamação crônica inespecífica. Recebeu cefepime por crescimento de Pseudomonas aeruginosa no LBA, com nova melhora clínica parcial. Por iniciar dor torácica à direita, identificou-se derrame pleural (DP) que foi analisado com resultado hipocelular. ADA era limítrofe, 38. Por DP ter desenvolvido septações, foi procedida a pleuroscopia com biópsia que revelou granulomas caseosos. Iniciou tratamento para tuberculose com adequada resposta clínica e laboratorial.

Conclusões/Considerações finais

A tuberculose pulmonar pode ser de difícil diagnóstico. Os exames para diagnóstico como pBAAR, cBAAR e PCR para TB têm alto rendimento diagnóstico, embora no nosso paciente tenham sido negativos e necessitando de biópsia pleural guiada para adequado diagnóstico.

Palavras-chave

Tuberculose Pulmonar; Espondilite Anquilosante; Anti-TNF

Área

Pneumologia

Instituições

Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira - Pernambuco - Brasil

Autores

CAMILA HANAE FILGUEIRA SAITO, José Ricardo Bandeira de Oliveira Filho, Marília Cristina Oliveira Gonzaga, Maria Fernanda Maia Freitas