Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ASSOCIAÇÃO ENTRE DIABETES MELLITUS E TUBERCULOSE: UM RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Tuberculose (TB) e diabetes mellitus (DM) representam duas doenças de relevância epidemiológica mundial. Pacientes com TB-DM podem apresentar manifestações clínicas mais graves e pior resposta às condutas terapêuticas.

Objetivos

Relatar caso de paciente com TB-DM.

Delineamento e Métodos

Foram selecionados os prontuários do paciente.

Resultados

A.C.S, 47, homem, relata 3 eventos de síncope à noite nos últimos 15 dias com necessidade de internação hospitalar. Refere que descobriu ser diabético há 6 meses, em uso de metformina 850mg 1-0-1. Informa que há aproximadamente 1 mês começou a utilizar insulina NPH 8 UI 0-0-1. Após tais eventos, foi recomendada substituição de insulinoterapia por esquema 1-1-1 de metformina 850mg. Relata perda ponderal não intencional no último ano. Nega polifagia, polidipsia e poliúria. Também nega tabagismo. Ao exame físico, regular estado geral, bastante emagrecido, hipocorado 2+/4+, desidratado +/4+. Frequência cardíaca 120 bmp, frequência respiratória 20 irmp, pressão arterial 110x85mmHg, glicemia ao acaso (GA): 293 mg/dl, índice de massa corpórea (IMC): 12,8. Sem alterações na revisão de sistemas. Solicito exames de rotina para diabéticos. Prescrevo glibenclamida 5mg 0-0-1 e metformina 850mg 1-1-1. Após 3 semanas, em consulta de retorno, nega novos eventos de síncope e afirma sentir-se melhor após novo esquema terapêutico. Ao exame físico, hipocorado 3+/4+, desidratado 2+/4+, GA 368 mg/dl e IMC 12,5. Exame de pé diabético normal. Adiciono insulina NPH 10 UI 1-0-0 à prescrição e oriento sobre uso correto da insulina. Após 1 semana, em visita domiciliar, refere mal-estar e astenia após insulinoterapia. Questionado, afirma episódios esporádicos de tosse de longa data e febre intermitente há pelo menos 6 meses. Ao exame físico, bom estado geral, temperatura axilar 37,1ºC, GA 170 mg/dl. Aparelho respiratório: creptos em ápice de hemitórax esquerdo. Análise laboratorial revelou: HbA1c 10,2% e anemia (hemoglobina = 12,1) normocrômica e normocítica. Solicito baciloscopia de escarro 2 amostras, RaioX de tórax, e testes rápidos para sífilis, HIV, Hepatites B e C. Em nova visita domiciliar, foram colhidos os exames: RaioX sem alterações, testes rápidos negativos e baciloscopia positiva nas 2 amostras. Foi então iniciado esquema para tratamento de TB.

Conclusões/Considerações finais

Devido ao DM causar hiperglicemia e interferir no metabolismo dos fármacos anti-TB, há interferência direta na resposta imunológica; simultaneamente, a TB pode elevar os níveis de glicemia e ser um fator para descompensação.

Palavras-chave

Tuberculose; Diabetes Mellitus; Perda de peso.

Área

Clínica Médica Geral

Instituições

Universidade Federal de Sergipe - Sergipe - Brasil

Autores

YURI BARBOSA ARAUJO, JOSE BENTO DOS SANTOS, GLEBSON SANTOS SOBRAL, LUCIANA GIMARAES NUNES DE PAULA