Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ARTERITE DE TAKAYSU, A IMPORTÂNCIA DE CONHECER PARA DIAGNOSTICAR: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A arterite de Takayasu (AT) é uma vasculite sistêmica crônica e progressiva, de etiologia desconhecida.

Objetivos

Conhecer os aspectos clínicos e fisiopatológicos da AT para auxílio diagnóstico.

Delineamento e Métodos

M.S.F.C, sexo feminino, 58 anos, diagnosticada com AT, em tratamento medicamentoso. Segundo relatório médico, em 1996 a paciente apresentou alteração isquêmica em teste ergométrico, em 1997 realizou cintilografia e cateterismo, havendo complicações no procedimento com lesão de subclávia D. Ainda evoluindo com quadros de oclusão arterial, realizou em 1998 cateterismo por via inguinal, detectando obstruções de 40 a 50% em coronárias. Em 2006 teve episódios de pré-síncope, caracterizados por palidez e sensação de desmaio. Em 2007 realizou cateterismo que detectou obstrução de carótidas, foi internada por 11 dias e realizou 4 cateterismos. Logo após foi sugerido o diagnóstico de AT e iniciou-se o tratamento utilizando-se de Corticoterapia (Prednisona 40mg, por 1 ano), com Azatioprina por 1 ano e Metotrexato, do qual desde então faz uso. Em 2012 a paciente realizou colocação de ponte safena e cateterismo com colocação de stents. Resultado: Carótidas comuns esquerda e direita apresentavam redução de 90% e 40% da sua luz, respectivamente. Oclusão em subclávia vertebral direita e estenose de subclávia esquerda. Atualmente sem novas queixas vasculares, medicada para AT com: Metotrexato(15 mg/semana), Cebralat(50mg) e Aspirina (100mg).

Resultados

Exame físico: Bom estado geral, orientada, anictérica, acianótica, afebril, mucosas normocoradas, linfonodos não palpáveis. Frequência Cardíaca 74bpm; Frequência Respiratória 15irpm; Pressão Arterial 130X80mmHg. Cardiovascular: Bulhas rítmicas, normofonéticas em 2 tempos, sem sopro. Pulsos radial direito e tibial posterior esquerdo e direito com intensidade diminuída. Respiratório: Murmúrios vesiculares presentes, sem ruídos adventícios. Abdome: Ruídos hidroaéreos presentes, normotimpânico, indolor à palpação. Tempo de enchimento capilar < 3seg, edema em membros inferiores +/4+. Exames complementares: Velocidade de Hemossedimentação: 03mm; Proteína C-Reativa: Inferior a 0,1mg/dl.

Conclusões/Considerações finais

No início a AT apresenta manifestações inespecíficas, o que dificulta o seu diagnóstico. Mas com a evolução do seu quadro clínico e acometimento vascular é necessário elencá-la como hipótese diagnóstica, para detectá-la e tratá-la precocemente e melhorar a sobrevida do paciente.

Palavras-chave

Arterite de Takayasu. Vasculite. Diagnóstico.

Área

Reumatologia

Instituições

Universidade Federal de Sergipe - Sergipe - Brasil

Autores

RUTE NASCIMENTO OLIVEIRA, Roque Pacheco de Almeida