Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE ESPACIAL DA LEISHMANIOSE VISCERAL E CUTANEA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES – BRASIL

Fundamentação/Introdução

As doenças tropicais negligenciadas (DTN) prevalecem em condições de pobreza e contribuem para a manutenção da desigualdade social. Das DTNs priorizadas pelo Ministério da Saúde, as Leishmanioses Visceral (LV) e Cutânea (LC) requerem especial atenção devido a sua gravidade. Essas parasitoses têm sido relatadas nas áreas urbanas brasileiras e apresentam amplo espectro clínico. A idade do indivíduo infectado influencia o curso da infecção, sendo as crianças um dos grupos mais afetados. Os dados sobre o comportamento dessas parasitoses na população jovem são limitados.

Objetivos

Analisar a distribuição espacial das leishmanioses visceral e cutânea em crianças e adolescentes no Brasil.

Delineamento e Métodos

Foi realizado um estudo exploratório ecológico retrospectivos, sendo realizada uma análise espacial dos casos de leishmaniose visceral e cutânea relatados entre crianças e adolescentes com idade entre 0 a 19 anos através do sistema de informação de agravo de notificação (SINAN) no período de 2009 a 2013.

Resultados

Um total de 10.379 indivíduos foram identificados com LV. Em relação ao gênero, a infecção foi significativamente maior entre homens de 15 a 19 anos. Co-infecção com HIV foi relatada em 7,14% desses indivíduos. As áreas de Irecê (BA) e Campo Grande (MS) foram as áreas com maior incidência de casos, sendo observado 139,85 e 190,29 casos para cada 100.000 habitantes, respectivamente. A LV apresentou uma taxa de letalidade de 3,72%. A LC foi responsável por 31.178 casos, com taxa de casos de 9,73 para cada 100.000 habitantes. Esta infecção foi substancialmente associada a crianças do sexo masculino e adolescentes de 15 a 19 anos. As áreas que apresentaram as taxas mais altas são aquelas localizadas no Norte e no Centro-Oeste. A taxa de letalidade foi de 0,01%.

Conclusões/Considerações finais

O número de casos e a taxa de letalidade descritos neste estudo mostram que essas parasitoses representam um sério problema de saúde pública no Brasil. Isso aponta para a necessidade de incentivar novas pesquisas e a reformulação de políticas sociais, econômicas e de saúde pública destinadas a garantir melhores condições de saúde e vida a todos os indivíduos, especialmente as populações consideradas vulneráveis, como é o caso dos jovens

Palavras-chave

Leishmaniose visceral; Análise espacial; Crianças; Adolescentes; Brasil

Área

Infectologia

Instituições

Faculdade de Medicina de Olinda - Pernambuco - Brasil, Faculdade São Miguel - Pernambuco - Brasil, Instituto Aggeu Magalhães - FIOCRUZ - Pernambuco - Brasil, Universidade Federal de Pernambuco - Pernambuco - Brasil

Autores

EDUARDO BRANDAO, Dener Geruso Costa Mascarenhas, Caio Felipe Farias Barros, Iasmyn Dayanne Santos do Nascimento, Paulo Sérgio Ramos de Araújo