Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FRATURA DE FÊMUR EM IDOSOS HOSPITALIZADOS EM UM HOSPITAL FILANTRÓPICO DE RECIFE: PERFIL CLÍNICO-PATOLÓGICO

Fundamentação/Introdução

A fratura de fêmur é uma condição comum na população idosa, caracterizada pela perda da solução de continuidade óssea no osso femoral. (MADEIRAS et al., 2019). Essa patologia apresenta uma elevada morbi-mortalidade entre os idosos pois o processo de envelhecimento provoca alterações fisiológicas, morfológicas, bioquímicas e estruturais que tornam essa população mais suscetível a esse tipo de fratura. (NETO et al., 2017). Logo, é fundamental traçar as características clínicas desses pacientes para desenvolver estratégia de prevenção desse agravo à saúde da população idosa e servir de base de dados para futuras pesquisas na área.

Objetivos

Definir e avaliar o perfil clínico e os fatores de risco dos pacientes idosos hospitalizados com fratura de fêmur no Hospital Santo Amaro da Santa Casa de Misericórdia do Recife.

Delineamento e Métodos

Trata-se de um estudo de corte transversal, descritivo, com abordagem quantitativa. A coleta de dados foi realizada nos meses de outubro de 2019 a janeiro de 2020 por meio da aplicação de um formulário estruturado aos pacientes e/ou seus responsáveis. Os dados foram tabulados e analisados no programa Microsoft Excel 2010. O estudo atendeu às determinações da Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, sendo iniciado somente após a aprovação do projeto pelo Comitê de Ética em Pesquisa.

Resultados

De acordo com o perfil clínico-patológico dos participantes do estudo, a maioria apresentou fratura de fêmur em membro inferior direito, sendo a queda do mesmo nível a causa principal (91,1%). Os participantes tinham como comorbidades de destaque: hipertensão arterial sistêmica (31,9%), diabetes melitus (15,9%) e síndrome demencial (6,8%). Além disso, uma parte dos pacientes já tinham diagnóstico prévio de osteoporose (22,2%), apesar da maioria não ter realizado o exame de densitometria óssea (77,8%). Parte considerável dos pacientes já tinha história prévia de quedas (75,6%), e um menor percentual, histórico de outras fraturas (31,1%).

Conclusões/Considerações finais

De forma geral, os pacientes do atual estudo apresentaram perfil clínico-patológico semelhante àquele encontrado na literatura publicada. Torna-se necessário, o estabelecimento de ações educativas para prevenção e promoção da saúde na senilidade, a fim de identificar precocemente os fatores de risco e diminuir a probabilidade de quedas e lesões, além de trabalhar com a reabilitação desses pacientes pela equipe multidisciplinar.

Palavras-chave

Fratura de fêmur. Saúde do Idoso. Idoso.

Área

Geriatria

Instituições

Hospital Santo Amaro da Santa Casa de Misericórdia do Recife - Pernambuco - Brasil, Universidade Católica de Pernambuco - Pernambuco - Brasil

Autores

ANA CLARA SILVA DE ANDRADE, CARLOS ALBERTO TENÓRIO DE ARAÚJO III, CAROLINA CAVALCANTI BEZERRA, ESTEPHANI SOUZA MENDONÇA, ALEXANDRE BEZERRA GALINDO, EDUARDO NEVES CÔRTE REAL DE ANDRADE