Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MORBIMORTALIDADE ENTRE OS MUITO IDOSOS DE UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA DE MACEIÓ APÓS FRATURA DE FÊMUR

Fundamentação/Introdução

Introdução: A fratura de fêmur é uma das complicações mais comuns em idosos decorrente, principalmente, de quedas da própria altura. Segundo Gorzoni e Fabbri (2013), as chances de um idoso de 65 a 74 anos cair pelo menos uma vez por ano é de 32%, enquanto que para idosos acima de 85 anos esse número chega a 51%. Uma das principais consequências disso é a fratura do colo do fêmur, especialmente em pacientes com osteoporose, o que pode levar a complicações sérias, como a imobilidade e o óbito.

Objetivos

Objetivos: Descrever a taxa de mortalidade, o tempo médio de internação e as complicações decorrentes da fratura de fêmur entre pacientes acima de 80 anos provenientes de um Hospital de referência de Maceió e da literatura.

Delineamento e Métodos

Métodos: Estudo descritivo de abordagem quantitativa. Foram coletados dados, obtidos por meio de ligação telefônica, sobre pacientes provenientes hospital de referência de Maceió que sofreram fraturas de fêmur. A partir disso, foi construída uma tabela no software Excel com as variáveis referentes aos pacientes com mais de 80 anos e foram calculadas indicadores como mortalidade, tempo de internação e prevalência de complicações pós-operatórias. Comparou-se, então, os dados obtidos com a literatura.

Resultados

Resultados: Dos 63 pacientes com mais 80 anos observados, verificou-se taxa de mortalidade de 12,7%, com média de tempo de internação de cerca de 15 dias. Ademais, salienta-se que 39,7% dos pacientes não apresentaram complicações pós-operatórias, enquanto que Delirium, ITU e outras complicações, que não constavam entre as opções questionadas durante a obtenção dos dados, foram as complicações mais prevalentes.

Conclusões/Considerações finais

Discussão: há poucos dados para os muito idosos (>80 anos), porém, alguns estudos, como um estudo de coorte prospectivo e multicêntrico da Espanha com pacientes > 50 anos, mostra uma taxa de mortalidade de 9,9% nos 4 meses pós-trauma. Assim como, as principais complicações sendo o delirium (36,1%) e injúria renal aguda (14,1%). Entre as fraturas proximais, uma revisão sistemática mostrou que a média de mortalidade é de 21,8%. Um unicêntrico com pacientes > 60 anos, mostra que o tempo de internação médio foi de 13,6 ± 7,5 dias, e a mortalidade foi de 14,4%, principalmente nos mais idosos. Conclusão: Dessa forma, nota-se que a mortalidade e complicações do serviço em análise assemelham-se com as da literatura, mostrando o delirium como uma das principais complicações e reforçando este evento traumático como de altíssima mortalidade entre idosos.

Palavras-chave

Área

Geriatria

Instituições

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS - Alagoas - Brasil

Autores

FELIPE MENDONÇA ROCHA BARROS, DAVID COSTA BUARQUE, Caroline Meneses Resende, Matheus Soares Vicente, Catarina Marinho Omena Toledo