Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MAPEAMENTO LINFONODAL ANÔMALO NO MELANOMA DE MEMBRO SUPERIOR: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Identificar metástases linfáticas é um dos mais importantes fatores prognósticos no melanoma (ML), já que sua positividade é associada à maior morbi-mortalidade. O linfonodo sentinela (LS) é o primeiro linfonodo a receber a drenagem linfática do tumor primário, consequentemente o primeiro a receber células neoplásicas. A maioria dos ML primários da extremidade distal de membro superior (MS) drenam para o LS na axila, mas ocasionalmente podem drenar para a região epitroclear (RE). Sabe-se que a disseminação linfática é a forma mais frequente de progressão à distância da doença, entretanto o impacto das linfadenectomias na sobrevida dos pacientes é discutível.

Objetivos

Relatar um caso de ML em região hipotenar (RH) com marcação anômala de LS em RE.

Delineamento e Métodos

Mulher, 64 anos, com lesão pigmentada da mão direita há 2 anos e sem antecedentes de câncer. Ao exame físico apresentava lesão pigmentada na RH da mão direita, assimétrica, bordas irregulares, coloração heterogênea e medindo aproximadamente 2 cm de diâmetro. Foi submetida a biópsia excisional, com anatomopatológico (AP) de ML extensivo superficial, índice de Breslow 1,5mm, Clark IV, índice mitótico de 3 mitoses/mm² (estadiamento IB - T2a, N0, M0). Foi submetida após um mês a ampliação de margens e pesquisa de LS. A linfocintilografia identificou dois LS, um em RE e outro em região axilar (RA), ambos à direita. As análises de lâminas foram negativos para metástases.

Resultados

O exame físico do linfonodo regional (LR) é impreciso, pois tem baixo valor preditivo negativo (VPN) e positivo . O exame com maior acurácia (98%) para avaliação linfonodal no ML é a linfocintilografia e tem VPN de 100%. Aproximadamente 8% dos ML drenam inicialmente para cadeias linfáticas anômalas (CLA), dentre elas o espaço triangular do dorso, a fossa poplítea ou a RE. Estudos comprovam que os ML de extremidades possuem maior probabilidade de drenagem típica (até 99%) e 3% dos ML localizados no antebraço positivam em RE. Os RE podem variar numericamente de um a quatro, geralmente impalpáveis, a menos que estejam envolvidos por um processo infeccioso ou metastático.

Conclusões/Considerações finais

As CLA podem ser mapeadas e também podem ser acometidas de metástases, não devendo, portanto, serem descuidadas no seguimento dos pacientes com ML. A disseminação linfática das células do ML em MS não é claro, de modo que ainda não foi estabelecido se poderiam considerar CLA como de intervalo, uma extensão, ou independente.

Palavras-chave

Linfonodo Sentinela; Melanoma; Metástase Linfática.

Área

Oncologia

Instituições

Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Rio Grande do Norte - Brasil, Universidade Potiguar - Rio Grande do Norte - Brasil

Autores

JOSE AMERICO DOS SANTOS COSTA NETO, Rosane Nayara de Medeiros Alves Fernandes, Lucas Pereira Leite, André Luiz Costa Silva, Laura Cristina Costa Silva, Renan Cortes Alves Soares