Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A GRAVIDADE DA CARDIOPATIA REUMÁTICA COMO DESFECHO: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A febre reumática (FR) é um distúrbio infeccioso e inflamatório multissistêmico, cujas manifestações cardíacas podem estar presentes em até 60% dos casos. A doença valvular reumática pode ser causada por apenas um surto grave, ou mais frequentemente por surtos recorrentes, caracterizando-se, assim, como o comprometimento mais significativo, por deixar sequelas e limitar a vida do paciente.

Objetivos

Descrever o caso de uma paciente portadora de febre reumática durante a infância e o agravamento desta a longo prazo.

Delineamento e Métodos

Paciente do sexo feminino, 42 anos, diabética, hipertensa e antecedente de febre reumática na infância. Apresentou acidente vascular cerebral seguido de mielite transversa em 2017 e, após 5 meses, evoluiu com dispneia aos esforços, edema de membros inferiores, ortopneia e dispneia paroxística noturna. Ecocardiograma mostrou estenose mitral e, em 2018, foi submetida à valvoplastia mitral. Entretanto, a paciente manteve descompensações com insuficiência cardíaca, além de fibrilação atrial, mesmo com tratamento clínico otimizado. Novo ecocardiograma revelou estenose moderada e insuficiência importante valvar mitral, aumento de câmaras esquerdas, insuficiência tricúspide discreta, hipertensão arterial pulmonar moderada e fibrilação atrial. Devido a progressão da doença, foi realizada a troca da válvula mitral por bioprótese em janeiro de 2019.

Resultados

No seguimento de um ano de pós-operatório, ainda encontra-se com dispneia aos esforços moderados, com doses otimizadas das medicações para insuficiência cardíaca, profilaxia secundária contínua para FR, sem novos episódios de fibrilação atrial, e ecocardiograma transtorácico com fração de ejeção 57%, prótese biológica mitral normofuncionante, insuficiência tricúspide moderada, hipertensão arterial pulmonar discreta e aumento importante do átrio esquerdo e discreto do átrio direito.

Conclusões/Considerações finais

A cardite reumática apresenta-se como um problema de saúde pública, por ter grande impacto na morbimortalidade e na qualidade de vida de pacientes com FR, doença ainda endêmica em nosso país. Pode ser agravada pelo diagnóstico e tratamento tardios da FR, e pela deficiente adesão à profilaxia com penicilina, tornando-se necessária uma avaliação sistemática do cuidado com os pacientes, priorizando o tratamento da faringite estreptocócica na infância, para controle e tratamento da doença antes que as complicações se tornem irreversíveis.
Palavras-chave: Febre reumática; Cardite; Agravamento;

Palavras-chave

Área

Cardiologia

Instituições

Universidade Tiradentes - AL - Alagoas - Brasil

Autores

SONIELY NUNES DE MELO, Bruna Rafaella Santos Torres, Izabelle Barbosa Silva, Santília Tavares Castro e Silva, Rayana Ribeiro Assis, Wanessa Guimarães Rodrigues