Congresso Norte-Nordeste de Clínica Médica e Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

LINFOMA NÃO-HODGKIN FOLICULAR E SUAS VERTENTES: UM RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

O Linfoma Folicular (LF) representa aproximadamente 30% de todos os Linfoma Não-Hodgkin, e é definido como uma doença indolente, recidivante, crônica e incurável. É uma comorbidade sem predileção por sexo e afeta principalmente indivíduos entre 60 e 65 anos. As manifestações clínicas são variadas e podem incluir febre, sudorese noturna, perda ponderal, pancitopenia, fadiga e linfonodomegalia. Muitos pacientes, no entanto, são assintomáticos ao diagnóstico, o qual é baseado na histopatologia da biópsia excisional de linfonodo e imuno-histoquímica da biópsia de medula óssea. Opções de tratamento sistêmico de primeira linha para doentes sintomáticos incluem quimioterapia com agente único, associação com corticoide e esquemas poliquimioterápicos com Rituximabe (anticorpo monoclonal que atinge proteína CD20).

Objetivos

Relatar um caso de LF e como seu diagnóstico precoce é importante para a estabilização medular e consequente prognóstico.

Delineamento e Métodos

Paciente feminino, 77 anos, deu entrada no pronto-socorro referindo lombalgia e hematúria macroscópica há 3 meses, acompanhada de dor e hematomas em coxa direita há 15 dias. Realizou exames laboratoriais no serviço que demonstraram pancitopenia, PCR elevada e TAP diminuído. Foi receitado Prothromplex, fármaco que contém fatores II, VII, IX e X de coagulação, e solicitado mielograma. Dez dias após, retorna ao serviço médico apresentando gengivorragia, com melhora momentânea do quadro anterior e mielograma mostrando presença de 10% de infiltrado plasmocitário. Sendo assim, foi pedida uma biópsia de medula óssea, que descreveu infiltração da medula óssea compatível com LF em seu perfil imuno-histoquímico, com anticorpos CD20, CD10, BCL2 e BCL6 positivos.

Resultados

Foi, então, prescrito Rituximabe, tendo a paciente já realizado 11 ciclos com intervalo de 3 meses entre eles, e desde então apresentou remissão dos sintomas e melhora laboratorial significativa. Paciente realizou Tomografia Computadorizada de abdome total, tórax e coxa direita para seguimento, as quais não evidenciaram anormalidades, e segue em acompanhamento hematológico.

Conclusões/Considerações finais

Apesar de ser uma doença incurável e complexa, o seu precoce diagnóstico é fundamental para o tratamento adequado, a fim de estabilizar a medula óssea e permitir um desfecho e seguimento estáveis da doença.

Palavras-chave

Linfoma não-Hodgkin; Linfoma Folicular; Rituximabe; estabilização medular.

Área

Hematologia

Instituições

Universidade Potiguar - Rio Grande do Norte - Brasil

Autores

RENATA ASSIS CARDOSO, ALYNE BARRETO MESQUITA DE GOIS, GABRIELLI GUEDES DE OLIVEIRA GURGEL, RODRIGO ASSIS CARDOSO, VITOR CARDOSO MUNIZ